PERFIL MUNICIPAL - NOVO ARIPUANÃ (AM)

 

 

PERFIL MUNICIPAL - NOVO ARIPUANÃ (AM)

Caracterização do Território

Área:  41.571,3 km²

Densidade Demográfica:  0,4 hab/km²

Altitude da Sede:  20 m

Ano de Instalação:  1.955

Distância à Capital:  227,8 km

Microrregião:
Madeira

Mesorregião:
Sul Amazonense

 

Demografia

                                          População por Situação de Domicílio, 1991 e 2000

                                                                                                  1991                                2000

                         População Total                                                 11.634                              17.119

                              Urbana                                                          5.432                                9.054

                              Rural                                                            6.202                                8.065

                         Taxa de Urbanização                                        46,69%                            52,89%

 

No período 1991-2000, a população de Novo Aripuanã  teve uma taxa média de crescimento anual de 4,56%, passando de 11.634 em 1991 para 17.119 em 2000.

A taxa de urbanização cresceu 13,27, passando de 46,69% em 1991 para 52,89% em 2000.

Em 2000, a população do município representava 0,61% da população do Estado, e 0,01% da população do País.

 

                                                          Estrutura Etária, 1991 e 2000

                                                                                                  1991                                2000

                         Menos de 15 anos                                             5.596                               7.854

                         15 a 64 anos                                                     5.589                               8.607

                         65 anos e mais                                                    449                                  658

                         Razão de Dependência                                   108,2%                              98,9%

 

                         Indicadores de Longevidade, Mortalidade e Fecundidade, 1991 e 2000

                                                                                                                          1991               2000

                 Mortalidade até 1 ano de idade (por 1000 nascidos vivos)                       53,9                42,4

                 Esperança de vida ao nascer (anos)                                                     62,3                66,3

                 Taxa de Fecundidade Total (filhos por mulher)                                         6,4                  5,0

 

No período 1991-2000, a taxa de mortalidade infantil do município diminuiu 21,34%, passando de 53,94 (por mil nascidos vivos) em 1991 para 42,43 (por mil nascidos vivos) em 2000, e a esperança de vida ao nascer cresceu 3,97 anos, passando de 62,29 anos em 1991 para 66,26 anos em 2000.

 

Educação

                                       Nível Educacional da População Jovem, 1991 e 2000

                                             Taxa de             % com menos de 4    % com menos de 8      % frequentando

                                        analfabetismo           anos de estudo          anos de estudo               a escola

          Faixa etária

               (anos)                                                                

                                       1991          2000          1991          2000          1991          2000          1991         2000

              7 a 14                64,7          37,6             -               -               -               -                  45,9         75,0

             10 a 14               49,5          20,8          94,8          80,5             -               -                  50,7         81,8

             15 a 17               33,1           8,1           80,2          41,1          98,1          85,9               45,3         70,4

             18 a 24               36,4          14,3          65,7          35,4          94,5          82,5                 -               -

    - = Não se aplica

 

                     Nível Educacional da População Adulta (25 anos ou mais), 1991 e 2000

                                                                                                      1991                               2000

                       Taxa de analfabetismo                                               59,3                                34,3

                       % com menos de 4 anos de estudo                            83,5                                66,2

                       % com menos de 8 anos de estudo                            94,5                                87,2

                       Média de anos de estudo                                             1,4                                  3,1

 

Renda

                                   Indicadores de Renda, Pobreza e Desigualdade, 1991 e 2000

                                                                                                                 1991                     2000

                 Renda per capita Média (R$ de 2000)                                         103,7                      70,2

                 Proporção de Pobres (%)                                                            63,5                      81,1

                 Índice de Gini                                                                             0,61                      0,65

 

A renda per capita média do município diminuiu 32,33%, passando de R$ 103,67 em 1991 para R$ 70,15 em 2000. A pobreza (medida pela proporção de pessoas com renda domiciliar per capita inferior a R$ 75,50, equivalente à metade do salário mínimo vigente em agosto de 2000) cresceu 27,80%, passando de 63,5% em 1991 para 81,1% em 2000. A desigualdade cresceu: o Índice de Gini passou de 0,61 em 1991 para 0,65 em 2000.

 

                    Porcentagem da Renda Apropriada por Extratos da População, 1991 e 2000

                                                                                  1991                              2000

                          20% mais pobres                               1,3                                 1,0

                          40% mais pobres                               8,0                                 6,2

                          60% mais pobres                             19,1                               15,5

                          80% mais pobres                             36,5                               31,6

                          20% mais ricos                                63,6                               68,4   

 

Habitação

                                                Acesso a Serviços Básicos, 1991 e 2000

                                                                                              1991                      2000

                          Água Encanada                                               3,8                      17,1

                          Energia Elétrica                                             40,0                      69,1

                          Coleta de Lixo¹                                                0,5                      44,7

                        ¹ Somente domicílios urbanos

 

                                                Acesso a Bens de Consumo, 1991 e 2000

                                                                                              1991                     2000

                           Geladeira                                                     20,2                      46,3

                           Televisão                                                     20,9                      48,8

                           Telefone                                                        3,5                      13,6

                           Computador                                                  ND                        0,2

                       ND = não disponível

 

Vulnerabilidade

                                            Indicadores de Vulnerabilidade Familiar, 1991 e 2000

                                                                                                                                        1991             2000

               % de mulheres de 10 a 14 anos com filhos                                                           ND               0,1

               % de mulheres de 15 a 17 anos com filhos                                                          33,1              15,5

               % de crianças em famílias com renda inferior à 1/2 salário mínimo                        70,6              86,0

               % de mães chefes de família, sem cônjuge, com filhos menores                            5,4                8,9

           ND = não disponível

 

Desenvolvimento Humano

                                                                                                                   1991             2000

                               Índice de Desenvolvimento Humano Municipal                  0,559            0,624

                                    Educação                                                                0,506            0,703

                                    Longevidade                                                            0,622            0,688

                                    Renda                                                                    0,548            0,482

 

Evolução 1991-2000

No período 1991-2000, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal(IDH-M) de Novo Aripuanã cresceu 11,63%, passando de 0,559 em 1991 para 0,624 em 2000.  

A dimensão que mais contribuiu para este crescimento foi a Educação, com 100,0%, seguida pela Longevidade, com 33,5% e pela Renda, com -33,5%.

Neste período, o hiato de desenvolvimento humano (a distância entre o IDH do município e o limite máximo do IDH, ou seja, 1 - IDH) foi reduzido em 14,7%.

Se mantivesse esta taxa de crescimento do IDH-M, o município levaria 30,5 anos para alcançar São Caetano do Sul (SP), o município com o melhor IDH-M do Brasil (0,919), e 17,0 anos para alcançar Manaus (AM), o município com o melhor IDH-M do Estado (0,774).

 

Situação em 2000

Em 2000, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal de Novo Aripuanã é 0,624. Segundo a classificação do PNUD, o município está entre as regiões consideradas de médio desenvolvimento humano (IDH entre 0,5 e 0,8)

Em relação aos outros municípios do Brasil, Novo Aripuanã apresenta uma situação ruim: ocupa a 4231ª posição, sendo que 4230 municípios (76,8%) estão em situação melhor e 1276 municípios (23,2%) estão em situação pior ou igual.

Em relação aos outros municípios do Estado, Novo Aripuanã apresenta uma situação intermediária: ocupa a 34ª posição, sendo que 33 municípios (53,2%) estão em situação melhor e 28 municípios (46,8%) estão em situação pior ou igual.