Sexta-feira, 3 de julho de 2009

 

 

JORNAL AMAZONAS EM TEMPO   3

Economia  3

Copa de 2014 vai gerar 150 mil novos empregos  3

Amazônia sem crédito de carbono  5

Venda da Hummer vai salvar 3 mil empregos  5

Dia-a-dia  6

Finalmente parou de encher 6

Prefeitura e Governo do Estado assinam pacto pela redução da mortalidade infantil 8

Jander Vieira  9

Em pauta  9

JORNAL A CRÍTICA   9

Economia  9

Sebrae promove encontro  9

Procon-AM apreende produtos  10

Linhas da TIM ficam em pane  12

Mercado de trabalho sinaliza recuperação  12

Insinuante inaugura loja no Manauara  13

Divulgada lista de aprovados  14

Piscicultura ganha reforço  15

Política  16

Mudanças na corte do TJA   16

Vereadores aumentam os gastos com cartões  17

Comissão na Guiana  18

Personificar a crise é um erro  19

Processo de Wallace não prevê pedido de prisão  22

Senador aponta para concessões  23

ONG mostra custo do parlamento  24

Cidades  24

Investimento em favor da vida  24

Juiz se apresenta, é ouvido e está preso  27

Cocaína ia para a África  28

Obras na Feira da Banana  29

Perdão a dívidas de luz  30

Princípio de incêndio assusta  31

Nível começa a estabilizar 31

Temperatura põe Norte em vantagem    32

Ministro encerra mutirão carcerário  33

Brasil 34

Airbus se despedaçou ao se chocar com água  34

Seguradoras já pagaram um milhão  35

Anistiados imigrantes ilegais  35

Mundo  36

Ninguém segura ambição nuclear de Pyongyang  36

Chávez paga milhões a grupo  37

Julio Ventilari 38

Incentivo fiscal 38

Sim & Não  38

Na iniciativa privada isso é proibido  38

JORNAL DO COMMERCIO   40

Economia  40

Puras seleciona trainees no Amazonas - 03/07/2009  40

Desoneração do IPI amplia vendas em 8% - 03/07/2009  41

Sudam aprova projetos de R$ 600 milhões para empresas da ZFM - 03/07/2009  42

Ministro anuncia investimentos de R$ 10 mi - 03/07/2009  43

Grupo Guremi participa do Prime com três projetos - 03/07/2009  44

Produção sobe em maio, mas tem queda recorde em 12 meses - 03/07/2009  46

Construtora lança novo bairro planejado - 03/07/2009  47

JORNAL DIÁRIO DO AMAZONAS   48

Economia  48

Crise afeta mais a indústria  48

Anatel  aperta fiscalização nas operadoras de telefonia  49

Maioria ganha dois salários no AM    50

Imposto para veículo novo é questionado  51

Governo federal vai incentivar a aviação regional 52

Cidades  53

Manaus tem a 2ª pior rede de esgoto  53

ABRIL.COM   55

Negócios sustentáveis  55

ESTADAO   56

Usina de Jirau assina contrato de R$ 7,2 bi com BNDES  56

MEIO FILTRANTE   56

AMBIENTAL EXPO atinge expectativas e anuncia data da próxima edição  56

G1  61

SP tem a segunda melhor rede de esgoto das cidades sede da Copa de 2014  61

PB AGORA   63

Multifeira espera atrair 140 mil visitantes em 10 dias  64

CONSULTOR JURÍDICO   66

STF julga com urgência fim da isenção na Zona Franca  66

RONDONOTÍCIAS   68

Relator de medida provisória tenta liberar BR 319  68

O GLOBO   69

Caso raro de trigêmeos entre ianomâmis mobiliza aldeia na Amazônia  70

CORREIO BRASILIENSE   71

Sarney oculta da Justiça Eleitoral casa de R$ 4 milhões  71

JB ON LINE   72

Desemprego na zona do euro sobe a 9,5%, maior nível em 10 anos  72

 

 

 

 

 

JORNAL AMAZONAS EM TEMPO

 

Economia

 

Copa de 2014 vai gerar 150 mil novos empregos

 

Inicialmente, os cursos serão mais voltados para o setor da construção civil, para as funções de pedreiros, mestre de obras e outras - fotos: Reinaldo Okita

 

 

 

Inicialmente, os cursos serão mais voltados para o setor da construção civil, para as funções de pedreiros, mestre de obras e outras

As oportunidades deverão preencher vagas nos setores de turismo e construção civil, que devem ser os maiores responsáveis pelas contratações.

Nos próximos cinco anos, 150 mil empregos — dos quais 50 mil diretos e 100 mil indiretos — devem ser gerados no Amazonas por conta da Copa do Mundo de 2014. A capital amazonense já conquistou o posto de sede, mas uma das preocupações do governo, prefeitura e órgãos ligados ao emprego no Estado ainda é a falta de mão de obra qualificada.
De acordo com o titular da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (STRE/AM), Dermilson Chagas, de início, as oportunidades deverão preencher as vagas destinadas aos segmentos de turismo e construção civil, setores que devem ser os maiores responsáveis por abertura de postos de trabalho no Estado
Mas, apesar do número de empregos que devem ser gerados antes e durante o evento esportivo, Chagas afirmou que, no Amazonas, ainda não existem candidatos suficientes para a ocupação dos cargos, mas medidas já estão sendo tomadas para que o problema seja minimizado. “Teremos cursos para pedreiros, eletricistas e guias turísticos”, disse o superintendente. 
Cursos de capacitação deverão ser disponibilizados para que a população local seja inserida no mercado de trabalho e, por meio da profissionalização, esperamos que a escassez de mão de obra qualificada seja solucionada antes mesmo do início das atividades relacionadas à Copa”, comentou o superintendente, ao destacar que até o fim deste ano, mil pessoas deverão ser capacitadas por meio dos cursos oferecidos pela SRTE/AM e parceiros, que devem ser iniciados já no próximo mês.

Serviços
Com relação a outras vagas disponíveis em hotéis, lanchonetes, restaurantes e outros estabelecimentos, Dermilson Chagas destacou que ainda não é possível ter uma dimensão de quantos postos de trabalho podem ser gerados. Segundo o superintendente, o setor de serviços precisa apresentar projetos de melhoria, ampliação da infraestrutura ao governo e prefeitura, para que haja projeção da quantidade de empregos que deverá ser gerada até 2014.

Pela inexperiência, jovens são os mais prejudicados 

A SRTE/AM acrescentou ainda que os jovens são os que enfrentam maiores dificuldades para ingressar no mercado. As dificuldades são ocasionadas, na maioria das vezes, pela falta de experiência profissional, problema que também deve ser minimizado por conta dos cursos oferecidos à sociedade até 2014.
“Já estamos obtendo avanço com relação à capacitação de jovens, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido”, disse o superintendente, baseado no Anuário do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda, divulgado ontem pela SRTE/AM e Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
Segundo dados do Anuário, no ano de 2003, a taxa de desemprego no Amazonas era de 29,5% entre os jovens com faixa etária entre 15 e 24 anos, mas em 2007 o percentual caiu para 21%. “É um avanço, mas ainda não possuímos mão de obra suficiente para preenchimentos de postos de trabalho”, complementou a supervisora técnica do Dieese, Alessandra Cadamuro, ao atribuir a redução às políticas públicas adotadas pelos governos federal e estadual.
Cadamuro destacou também que a falta de experiência tende a diminuir por conta dos cursos disponibilizados.
A supervisora técnica do Dieese citou que no período entre os anos de 2005 e 2008, dados divulgados pelo Departamento de Políticas de Trabalho e Emprego para a Juventude (DPJ) apontam que, no Amazonas, aproximadamente 14 mil jovens foram beneficiados com ações de qualificação e intermediação, número que deve crescer até o fim do ano e corresponder às expectativas dos órgãos governamentais por conta das iniciativas que estão sendo geradas neste ano.

Sine deverá capacitar 15 mil 

De acordo com o coordenador do Sistema Nacional de Empregos de Manaus (Sine/Manaus), Arilson Vieira, até o fim deste ano, 15 mil pessoas devem ser capacitadas pelo órgão, por meio de cursos de capacitação.
Entre os cursos disponíveis para a sociedade amazonense estarão os de informática básica, técnicas de vendas, empreendedorismo, design e moda, e línguas estrangeiras (inglês, espanhol e mandarim). “Os cursos serão gratuitos, assim como o material didático, que será de inteira responsabilidade da Prefeitura Municipal de Manaus”, destacou o coordenador, ao informar que só para o curso de idiomas serão disponibilizadas quatro mil vagas.
A coordenação do Sine/Manaus informou ainda que o edital para preenchimento das vagas dos cursos deve ser lançado neste mês, para que em agosto sejam iniciadas as aulas.

Richard Rodrigues
Equipe do EM TEMPO

 

 

Início

 

 

Amazônia sem crédito de carbono

 

 

 

 

Início

 

 

Venda da Hummer vai salvar 3 mil empregos

Divulgação

 

 

Divulgação

A montadora americana GM (General Motors) informou, hoje, que chegou a um princípio de acordo para a venda de sua marca Hummer, de veículos 4X4, um dia depois de pedir concordata, ou seja, proteção do "Capítulo 11" da Lei de Falências americana - o equivalente à recuperação judicial, no Brasil.

A GM não identificou nem o preço nem o comprador potencial, mas acrescentou que a transação salvará cerca de 3 mil postos de trabalho nos Estados Unidos.
O Hummer é a versão comercial do veículo militar Humvee. O acordo estipula que o comprador realizará um investimento significativo para financiar o futuro dos produtos Hummer, segundo a GM. Além disso, a fábrica da GM em Shreveport, em Louisiana (EUA), continuará contratando a montagem dos modelos H3 e H3T, pelo menos durante 2010.
A General Motors declarou, ontem, a maior quebra industrial da história dos Estados Unidos, ao obter a permissão do Tribunal de Falências em Manhattan (Nova York) para vender seus ativos, após acumular uma dívida de US$ 172,8 bilhões. O principal interessado nos ativos da GM é o Departamento do Tesouro dos EUA, que dará à empresa, fundada há 100 anos, bilhões de dólares para se transformar em seu principal acionista.

GM do Brasil será alocada na "Nova GM"

A unidade brasileira da General Motors será alocada na "Nova GM", parte da montadora norte-americana que reunirá os ativos saudáveis no processo de reorganização da matriz, que ontem, entrou com pedido de proteção contra falência nos Estados Unidos. A informação foi dada hoje pelo presidente da GM do Brasil e operações Mercosul, Jaime Ardila. "O governo dos EUA será dono da 'Nova GM' e da GM do Brasil por um tempo", afirmou Ardila.
Segundo o executivo, a GM do Brasil "é saudável, lucrativa". Ardila acrescentou que a montadora está sendo lucrativa em 2009, depois de ter registrado seu melhor ano em 2008. O executivo assegurou que os investimentos de US$ 2,5 bilhões programados para o período de 2007 a 2012 serão mantidos. Desse total, cerca de US$ 2 bilhões referem-se ao Brasil e os US$ 500 milhões restantes a uma linha de produção na Argentina.

 

 

Início

 

 

Dia-a-dia

 

 

Finalmente parou de encher

 A maior cheia já registrada tem afetado milhares de moradores de Manaus que tem casas próximas ao rio Negro - Ricardo Oliveira

 

 

 

A maior cheia já registrada tem afetado milhares de moradores de Manaus que tem casas próximas ao rio Negro

Segundo superintendente da CPRM, Marco Antônio de Oliveira, a descida do rio abaixo de 29 metros só deverá ocorrer a partir de agosto.

O rio Negro parou de encher e a cota ficou estabilizada em 29,77 metros de acordo com a medição feita ontem pelo engenheiro civil Valderino Pereira da Silva, 60, do Serviço de Hidrografia do Porto de Manaus. O superintendente do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Marco Antônio de Oliveira, disse que com esse registro, ainda não dá para prever se o rio está se estabilizando ou se ainda vai subir até o final de julho. Mas uma coisa é certa: deve permanecer com a cota alta até o dia 20 de julho, ou seja, com a cota superior à de emergência, que é de 29 metros. A descida do rio abaixo de 29 metros deve ocorrer só no mês de agosto.
Segundo Marco Antônio, de todas as cheias registradas em Manaus, 18% terminam em julho, 76% em junho e apenas 6% no mês de maio. As de junho foram cheias grandes, e as de julho, normais. “Anteriormente só a de 1989, que foi uma grande enchente, terminou em 3 de julho, com o rio Negro atingindo a cota máxima de 29,42 metros”, garantiu.
De acordo com o superintendente da CPRM, ao poucos o rio Negro está se estabilizando, uma vez que vinha subindo três centímetros por dia e ontem não subiu. Ele garante que as estações de Manacapuru, Itapeuá e Careiro da Várzea (rio Solimões), que ficam acima de Manaus, andaram paradas por alguns dias. “Mas no Careiro, o rio voltou a subir mais um centímetro. Mas com tendência de final de cheia”, ressaltou.
Marco Antônio disse que se a cheia se estender, a cota vai permanecer alta. Ele conta que a cheia de 1953 terminou no dia 9 de junho, com o rio acima de 29 metros (29,69 metros) até 20 de julho. E só regrediu abaixo de 29 metros em 20 de julho. No dia 13 de maio de 1953, o rio atingiu 29 metros e essa cota perdurou até 20 de julho, ou seja, ficou 69 dias acima de 29 metros.
Este ano, como revela o superintendente, o rio Negro atingiu 29 metros em 14 de maio. “Como é a maior cheia, o número de dias acima de 29 metros pode ser ultrapassado. Mas vamos saber só no dia 20 de julho”, disse ele, acrescentando que situação de normalidade, com uma cota de 28,50 metros, poderá ser alcancada em agosto deste ano. “Só na primeira quinzena de agosto poderemos ter uma descida das águas mais acentuada”, disse.
Segundo Alice Amorim, do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), O rio Negro atingiu a marca de 29,77 metros na quarta-feira e ontem não aumentou mais. “Já começou a estabilizar, pois estava subindo três centímetros por dia, mas desde a última sexta-feira está subindo apenas um centímetro por dia.  Só podemos dizer que parou de subir quando baixa entre 20 e 30 centímetros, caso contrário afirmamos apenas que estabilizou nessas áreas já que no máximo sobe ou desce um centímetro por dia”, disse Amorim.

EUA ajudam desabrigados

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Clifford Sobel, anunciou na terça-feira (30) o aumento da assistência oferecida pelo governo dos EUA a populações afetadas pelas recentes chuvas no Amazonas, além da expansão de ações de combate à malária no Estado. Os investimentos passam de US$ 50 mil a US$ 150 mil, graças ao apoio oferecido pelo Comando Sul das Forças Armadas dos EUA (U.S. Southern Command).
Por meio de iniciativa promovida pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid) e pelo Escritório de Assistência a Desastres no Exterior da Usaid em Washington (OFDA), a verba doada pelo Comando Sul das Forças Armadas dos EUA será investida na aquisição de artigos de primeira necessidade voltados às comunidades mais atingidas pelas enchentes no Amazonas. A compra e distribuição de produtos como filtros de água, soro para reidratação e artigos básicos de higiene ficará a cargo da entidade local Fundação Djalma Batista (FDB).

 

 

Início

 

 

Prefeitura e Governo do Estado assinam pacto pela redução da mortalidade infantil

O secretário municipal de Saúde, Francisco Deodato, participou, hoje, da assinatura do Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil, no Amazonas. O pacto será assinado entre Governo do Estado e 12 municípios apontados como prioritários na redução da mortalidade infantil no Amazonas, dentre os quais Manaus está inserida. Nos últimos dez anos, a mortalidade infantil teve queda de 57,7% na capital.


Em 1998 foram registrados 1.321 óbitos, contra 558 em 2008. Apesar da redução, o secretário Francisco Deodato observa que os índices ainda são altos, principalmente na fase neonatal (primeiro mês). Ele informa que, ao assumir a administração municipal, em janeiro deste ano, o prefeito Amazonino Mendes estabeleceu como uma das prioridades na saúde, o combate à mortalidade infantil. Para Deodato, combater as causas da mortalidade infantil passa por questões cruciais que envolvem o pré-natal adequado, melhor assistência no parto e até a cobertura vacinal, entre outros programas que já recebem atenção do sistema de saúde, mas que precisavam atuar integrados.
 De acordo com o secretário, já estão sendo dados vários passos para a redução da mortalidade infantil em Manaus. Um dos exemplos nesse sentido é o Termo de Referência e Contra-Referência do Pré-Natal, Parto e Puerpério, assinado em 28 de maio, entre as secretarias de Saúde do Município (Semsa) e do Estado (Susam). O termo estabelece um fluxo de atendimento desde o pré-natal e garante que a grávida, a partir do sexto mês, saiba em qual maternidade vai ter o bebê.  
 Também merece destaque a criação do Centro de Atenção Integral à Mulher, cujo projeto está sendo finalizado para ir à licitação. A nova unidade vai ocupar o espaço da extinta maternidade Brigitta Daou, na Compensa.  
Outro passo importante que vem sendo dado é a implantação nos quatro Distritos de Saúde – três já consolidados – do ambulatório de assistência neonatal aos recém-nascidos de risco, bebês que precisam de acompanhamento mais intenso. O atendimento ambulatorial é feito por pediatra neonatologista. A Semsa também está incentivando a utilização do protocolo de assistência para obstetrícia e atenção neonatal nas unidades básicas de saúde, para padronização do atendimento.
Somam-se, ainda, os projetos em parceria com o Ministério da Saúde e Governo do Estado, que vêm trazendo resultados importantes para Manaus, a exemplo do Prêmio Bíbi Vogel, que incentiva o aleitamento materno, concedido à cidade no mês passado. O prêmio reconhece o trabalho feito na maternidade Moura Tapajóz e em outras três maternidades estaduais, além das unidades básicas de saúde que têm o programa. Até setembro, a rede de unidades básicas Amigas da Amamentação subirá em Manaus de 15 para 30 unidades. O município também está implantando, em parceria com o Ministério da Saúde e o Governo do Estado, a Rede Norte Nordeste de Saúde Perinatal, que vai incluir todas as maternidades da cidade.

 

 

Início

 

 

Jander Vieira

Em pauta

 

 

 

 

 

Início

 

 

JORNAL A CRÍTICA

 

 

Economia

 

 

 

Sebrae promove encontro

Michael Dantas

Adelmir Santana presidirá o evento



 

O Sebrae reúne hoje, em Manaus, os conselheiros dos Estados do Norte para discutir políticas de gestão, obrigações e responsabilidades, entre outros assuntos. Serão mais de 100 pessoas, revelou o presidente do conselho nacional, senador Adelmir Santana (DEM), que presidirá o evento no Tropical Hotel. Está sendo esperado também o presidente da instituição, Paulo Okamoto.

Quatro desses encontros já foram realizados e o último está previsto para acontecer dia 7 de agosto em São Paulo, reunindo os conselheiros do Sudeste. Santana é presidente da Federação do Comércio de Brasília e vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio. Ele aproveitará para falar aos conselheiros sobre o lançamento do Programa de Formalização do Empreendedor Individual, conforme Lei Complementar 128/08.
 
Sobre o funcionamento do Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov.br), por meio do qual será possível fazer a inscrição, o senador explica que em Brasília já está operando e em 90 dias deverá funcionar em todo o País.

Entusiasta do Empreendedor Individual, Santana classifica como a “revolução dos pequenos” e que tem tudo para decolar. Mas ele está ciente que não haverá uma corrida à formalização de imediato. É um programa de longa duração e no primeiro ano a meta é registrar aproximadamente 10% dos negócios informais de hoje, ou seja, um milhão de registros.

 De todos os setores previstos, os de comércio e serviços devem ser os de maior demanda para a formalização, tendo em vista a existência de muita gente desenvolvendo atividades como cabeleireira, manicure, costureira e sapateiro, disse o senador. Ele reconhece a necessidade de divulgação do Empreendedor Individual, inclusive envolvendo os prefeitos municipais para serem multiplicadores dessa nova figura jurídica.

 

 

 

Início

 

 

 

Procon-AM apreende produtos

Divulgação

Do total de produtos apreendidos, 200 quilos eram de frango




Um total de 650 quilos de produtos impróprios para consumo foi apreendido na tarde de ontem, no supermercado Carrefour do Centro. A apreensão foiresultado da blitz realizada pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (CDC/Aleam), em parceria com o Procon/AM, o qual autuou o estabelecimento e ainda aplicou uma multa de R$ 10 mil.


Além da apreensão de mercadorias, o estabelecimento ainda terá de cumprir um prazo de cinco dias para regularizar o auto de vistoria do Corpo de Bombeiros, que também participou da fiscalização ao lado do Departamento Municipal de Vigilância Sanitária (DVisa), Delegacia de Defesa do Consumidor (Decon). “O auto de vistoria do Carrefour está fora do prazo de validade. E, como o documento é essencial para o funcionamento, se a empresa não se adequar no tempo estipulado será multada e depois interditada”, afirmou o tenente Falcão do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o tenente Falcão, como não há risco iminente para os consumidores e os funcionários, o estabelecimento não foi interditado, somente notificado.

Do total de produtos apreendidos, 200 quilos eram de frango, mais de 150 quilos de carnes (suína, bovina, salsicha e lingüiça) e o restante era composto por alimentos em calda e de mercadorias fora do prazo de validade. A DVisa, responsável pela apreensão dos congelados, informou que os itens estavam completamente fora dos padrões para consumo humano. Conforme nota do órgão, o material estava mal acondicionado (sem congelamento ideal) e com embalagens violadas.
 
No caso dos cortes de frango, todo o estoque exposto no freezer do estabelecimento foi apreendido por estar fora das especificações recomendadas pelo distribuidor: acondicionadas em temperatura abaixo de 12º negativo. “O estabelecimento tem de atender as exigências do produtor para garantir a saúde dos respectivos alimentos”, disse em nota o DVisa.

 

 

 

Início

 

 

 


 

 

 

Linhas da TIM ficam em pane




 

A rede de comunicação da TIM em Manaus foi alvo ontem de várias reclamações de clientes da operadora. Os usuários não conseguiram ligar e nem receber chamadas telefônicas. Quem possui celulares de outras operadoras pôde se comunicar via celular.

É o caso da estudante Beatriz Garcia. Desde a noite de quarta-feira que o telefone celular dela, da operadora TIM, não funciona. “Primeiro, o aparelho ficou mudo e agora (ontem à tarde) aparece mensagem ‘sem acesso à rede’. E esse problema tem acontecido quase toda semana”, denunciou, lembrando que chegou a falar com a operadora, mas o problema não foi resolvido. “Eu tenho número da OI e por isso estou conseguindo falar com outras pessoas. Estou pensando em cancelar a TIM”, acrescentou.

O corretor de imóveis Jailson Castro já perdeu negócios por causa de problemas de comunicação na TIM. “O meu trabalho depende do telefone celular e esses problemas vêm acontecendo frequentemente. O que salva é que tenho linha de outra operadora porque a TIM tem me deixado na mão”, informou.

A TIM, por meio de sua assessoria, informou que “os clientes das cidades de código de área 92 e 97, no Estado do Amazonas, tiveram dificuldades para originar e receber chamadas ontem, em função do rompimento de um cabo de fibra ótica de sua fornecedora de meios de transmissão”. Equipes da empresa trabalharam para normalização.

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

Mercado de trabalho sinaliza recuperação

Márcio James

Sine-Manaus verificou crescimento na recolocação de mão-de-obra




Priscila Mesquita

Especial para A CRÍTICA

O número de solicitações de seguro-desemprego registrado pelo Sine-Manaus em junho deste ano mostra que o mercado de trabalho encerrou o 1° semestre com claros sinais de recuperação. O total de requerimentos caiu 24,1% de maio para junho e 9,8% no sexto mês, na comparação com igual período do ano passado

Em maio de 2009 o volume de pedidos chegou a 696, já demonstrando um decréscimo de 7% frente a abril (749). Mas em junho a procura pelo benefício continuou caindo e ficou em 528. No paralelo com abril deste ano a demanda de junho foi 41,8% menor.

Comparado a junho de 2008, quando 586 pessoas pleitearam o benefício, o sexto mês apontou queda de quase 10%. Durante todo o semestre, o Sine Municipal recebeu 5.469 solicitações de seguro-desemprego.

Para o coordenador do órgão, Arilson Vieira, os números demonstram que já existe uma “estabilidade notável” no mercado de trabalho, decorrente da interrupção dos cortes de pessoal nas indústrias.

 “A partir de maio houve uma parada nas demissões. A tendência é que haja um reaquecimento das fábricas no segundo semestre, até como reflexo da prorrogação dos incentivos. A construção civil e o comércio também vão oferecer vagas”.

Só em junho o Sine intermediou a colocação de 150 pessoas no mercado. Vieira observou que o momento agora é bem diferente do verificado em janeiro, por exemplo, quando o órgão recebia até 80 pessoas por dia interessadas no seguro-desemprego. “Os números de dezembro, janeiro e fevereiro eram assustadores”, lembrou.
 
Apesar da estagnação das demissões, confirmada em junho pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o coordenador afirmou que a situação ainda não é favorável para novas contratações.

 

 

Início

 

 

Insinuante inaugura loja no Manauara



 

A rede Insinuante abre hoje, às 10h, sua 2ª loja em Manaus. Depois de inaugurar uma unidade na avenida Eduardo Ribeiro (Centro), no último dia 22, o grupo baiano abrirá a loja do Manauara Shopping, com 800 metros quadrados, no piso Tucumã. Na unidade vão trabalhar inicialmente 50 funcionários, mas o quadro pode aumentar nos próximos meses conforme o desempenho das vendas.  
 
Até o fim de 2009 a Insinuante vai inaugurar outras 11 lojas na cidade e empregar 500 trabalhadores. No fim de 2008 o grupo anunciou que as 14 lojas de Manaus receberiam um investimento superior a R$ 100 milhões em instalações físicas, estoque e crediário.
 
O gerente de expansão da rede na cidade, Mário Mendonça, disse que ainda não é possível calcular os recursos aplicados na loja do Manauara. Segundo Mendonça, na próxima semana a empresa também vai inaugurar a loja da avenida Grande Circular (Zona Leste), que terá dois mil metros quadrados.
 
No fim de maio, o diretor de patrimônio da Insinuante, Marcos Brito, veio a Manaus para detalhar o plano de expansão da rede e antecipou que o investimento na loja da Grande Circular chegou a R$ 2 milhões.
 
O grupo planeja para 2009 a abertura de mais duas lojas na Zona Leste. Uma delas ficará no Mutirão e a outra na avenida Grande Circular 2. “A Zona Leste é um vetor de crescimento. Ela pulsa, é impressionante”, frisou Brito em maio.
 
Vendas
no crediário

 Nas prateleiras das lojas Insinuante são vendidos seis mil produtos diferentes. Diferentemente de outras redes, que apostam no cartão de crédito, a rede baiana tem no carnê a sua principal fonte de venda. A Insinuante possui mais de 250 lojas em 12 Estados e gera 8 mil empregos diretos. Ela é a 4ª maior empresa do País no segmento de móveis e eletrodomésticos.

 

 

 

Início

 

 

 

Divulgada lista de aprovados




 

A Polícia Civil do Estado do Amazonas informa que a partir de hoje estará disponível no site  www.concursoscopec.com.br a nota final da prova de conhecimentos – somatório das provas objetivas e discursivas – do concurso público da PC para o cargo de delegado, realizado no dia 31 de maio de 2009. Concorrem às cem vagas disponibilizadas para esses cargos 300 candidatos. A relação está sendo divulgada obedecendo a ordem de classificação, ou seja, da maior para a menor nota.

 Haverá convocação para os exames médicos, que serão realizados em Manaus (AM), em local e data a serem divulgados em edital próprio. Os exames médicos terão caráter eliminatório e o candidato será considerado apto ou inapto. Por isso, todos devem ficar atentos ao site.

 Quem for considerado apto nos exames médicos, será convocado por edital específico para a prova de capacidade física e será considerado apto ou inapto. Esta prova tem o objetivo de avaliar a capacidade do candidato para suportar, física e organicamente, as exigências da prática de atividades a que será submetido durante o Curso de Formação Profissional – segunda etapa do concurso.

 

 

Início

 


 

 

Piscicultura ganha reforço

Márcio Silva

A previsão é que a estação produza aproximadamente 1,5 milhão de alevinos por ano e gere receita de R$ 15 milhões




 

Luís Mansuêto
Especial para A CRÍTICA
 
O sonho do pescador artesanal João Rodrigues Neves, 68, de São Gabriel da Cachoeira, era ter um local para criar peixes. A produção serviria para consumo e geração de renda. Após 30 anos, ele ainda não conseguiu concretizá-lo. Espera que com a inauguração da Estação de Alevinagem de Manaus, ontem, o sonho possa se transformar em realidade.

A estação está localizada na Estrada Torquato Tapajós, no Parque de Exposições Angelino Beviláqua. Na área de três hectares foram instalados seis tanques, que custaram R$ 48 mil. A previsão é que produzam aproximadamente 1,5 milhão de alevinos por ano e gerem R$ 15 milhões para o Estado.

A estação de alevinagem faz parte de um convênio entre a antiga Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, hoje Ministério da Pesca, e a Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror), que tem como objetivo o desenvolvimento da cadeia produtiva do pescado.

A inauguração contou com a presença do Ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin. Ele disse que a meta é que sejam construídas mais 14 estações no Amazonas. “Elas funcionarão, conjuntamente, com a estação de Balbina, onde são produzidos mais de 30 milhões de pós-larvas, que abastecerão as estações para a produção de alevinos”, destacou. 

Segundo o secretário de Produção Rural, Eron Bezerra, um dos problemas da piscicultura no Amazonas era o transporte dos alevinos. Isso porque havia muita perda. Além disso, caso fosse preciso enviar, por exemplo, 10 mil alevinos para outros municípios, seria preciso sacos com capacidade para 60 kg de água e um avião para o transporte.

 “Com as estações poderemos enviar, por exemplo, 50 mil pós-larvas em caixas de isopor para São Gabriel da Cachoeira, Boca do Acre, Benjamin Constant, onde se converterão em alevinos. Com isso, não teremos problemas de abastecimento”, afirmou.

Durante o evento, foram entregues seis caminhões frigoríficos destinados aos municípios de Manacapuru, Careiro, Humaitá, Boca do Acre e Benjamin Constant. Eles serão usados na distribuição da produção da estação de alevinagem.

 Eron disse que a distribuição é gratuita para produtores que produzem até 2 mil alevinos.

 

 

 


 Início

 

 

 

 

Política

 

 

 

Mudanças na corte do TJA

Alex Pazuello - DICOM/TJA

Euza Maria recebeu medalha das mãos do presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, Francisco Auzier




Terezinha Torres

da equipe de  A CRÍTICA
 
 A juíza Euza Maria Naice de Vanconcelos, 60, foi empossada ontem como desembargadora do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJA). Ela assumiu, pelo critério de merecimento, a vaga deixada pelo desembargador Rui Mendes, que faleceu no último mês de maio. Ontem, o Pleno do TJA também aclamou, pelo critério de antiguidade, como mais novo membro da Corte o juiz João Mauro Bessa, 60, que ocupará a vaga aberta com a aposentadoria do desembargador Gaspar Catunda, ocorrida em meados de junho.
 
Momentos antes de tomar posse, Euza Vasconcelos comentou sobre os desafios do Judiciário amazonense, que recentemente passou por uma inspeção do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) após ser alvo de um grande número de denúncias. “Nosso desafio é chegar mais perto das pessoas e continuar agindo com ética, dignidade e moralidade”, disse Euza Maria.
 
Para a nova desembargadora, o CNJ veio para ajudar os tribunais do País inteiro. “Nós (o Judiciário do Amazonas) tivemos que aparar algumas coisas e, devagar, estamos acertando. Acredito que 60% do que o CNJ aconselhou - porque o CNJ aconselha não determina - já foi atendido pelo tribunal. Outras coisas foram questionamentos para que nós tomássemos decisões aqui”, afirmou a magistrada. Em recente entrevista ao jornal A CRÍTICA, o vice-presidente do TJA, João Abdala Simões, afirmou que as recomendações do CNJ estão sendo cumpridas pelo tribunal. “A questão é que algumas não podem ser implementadas de imediato. Precisam de prazo”, declarou Simões.
 
Conquista

Com Euza Maria, chega a cinco o número de mulheres na composição da Corte estadual de Justiça. “A magistratura é um sacerdócio. Eu penso que, quem está na magistratura é por amor. Para mim não existe diferença entre a mulher magistrada e o homem magistrado. Somos iguais”, argumentou a desembargadora ao comentar o espaço que vem sendo ocupado pelas mulheres nas Cortes brasileiras.
 
Na posse, Euza Maria fez uma homenagem ao pai dela, Marcílio de Vasconcelos Dias, que começou a carreira como juiz municipal em 1913, passando a juiz de Direito em 1918 até ser promovido, em 1948, a desembargador do TJA. Ela salientou que o pai optou por exercer a magistratura, por 31 anos, no interior do Estado, vindo a atuar na capital apenas em 1947.
 
 Novo membro

A vaga deixada no Pleno do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) pelo desembargador Gaspar Catunda, que se aposentou no dia 18 de junho, será ocupada pelo juiz João Mauro Bessa. Ele foi aclamado, ontem, pelo critério de antiguidade por ser o juiz há mais tempo em atividade da capital, ele tem 27 anos de magistratura.

 

 

 

 Início

 

 

 

 

Vereadores aumentam os gastos com cartões

Heraldo Rocha - CMM

Levantamento mostra que vereadores de Manaus gastaram mais, por meio do cartão corporativo, no mês passado




Tereza Teófilo
Da equipe de A CRÍTICA
 
Os gastos da Câmara Municipal de Manaus (CMM) com os cartões corporativos no mês de maio representaram 86,7% da cota total do benefício mensal que é de R$ 304 mil. O valor, da ordem de R$ 263,6 mil, superou as despesas registradas em março e abril que foram de R$ 244 mil e R$ 216 mil, respectivamente.
 
 Dos 38 vereadores, seis parlamentares, Amauri Colares (PSC), Eduardo Castelo (PSB), Marcel Alexandre (PMDB), Massami Miki (PSL), Roberto Sabino (PRTB) e Wilton Lira (PTB) informaram ter utilizado 100 % da cota.
 
 Dentre os parlamentares que “apertaram o cinto” e utilizaram entre 44% e 58% da cota estão o vereador cassado Jander Tabosa (PV) que mesmo sem mandato usou o benefício e informou ter gasto R$ 3,5 mil, Mário Bastos (PRP) que utilizou R$ R$ 4,2 mil e o presidente da CMM, vereador Luiz Alberto Carijó (PTB) que declarou ter tido uma despesa de aproximadamente R$ 4,7 mil.
 
Perfomance

 Na divulgação dos gastos do mês de abril, cinco vereadores - Dr. Gomes (PMN), Fausto Souza (PRTB) ,Isaac Tayah (PTB), Jaildo dos Rodoviários (PRP) e José Ricardo (PT) - não informaram os gastos ao Legislativo ou não promoveram despesas com o cartão.
 
 Na atual divulgação, os vereadores Socorro Sampaio (PP) e José Ricardo Wendling (PT) informaram que não fizeram a utilização do benefício.
 
Cada vereador tem um limite no cartão corporativo de até R$ 8 mil por mês para despesas com combustível, contratação de empresas de consultoria, aluguel de carros, alimentação, serviços de comunicação e outros. O valor corresponde a parte dos R$ 40 mil da verba indenizatória dos vereadores.
 
 O benefício foi criado pela CMM no dia 17 de fevereiro deste ano. A lei foi aprovada com um voto contrário, o do vereador petista José Ricardo. Ele discorda do pagamento antecipado aos vereadores, para a posterior prestação de contas.
 
Os gastos com os cartões corporativos realizados em maio pelos vereadores foram publicados ontem no site da Câmara. Nos próximos dias, a instituição fará a publicação dos gastos realizados em junho.
 
Apesar
do Legislativo Municipal estar em recesso, os vereadores poderão fazer o uso do cartão sem qualquer restrição. A “folga” dos parlamentares que começou na última segunda-feira (29) se estenderá até o dia 20 de julho.

 

 

 

Início


 

 

Comissão na Guiana

Euzivaldo Queiroz - 15/06/2009

Reportagem de A CRÍTICA mostrou situação de imigrantes, no último mês de junho




Leandro Prazeres

da equipe de A CRÍTICA
 
 Membros da Comissão de Relações Exteriores do Senado irão à Guiana Francesa verificar a situação dos brasileiros detidos por estarem naquele território em situação irregular. A viagem está marcada para o dia 13 de agosto e  foi aprovada pela Comissão após reportagem publicada por A CRÍTICA mostrando que cidadãos brasileiros estão sendo deportados para o Amazonas para dificultar o retorno deles à Guiana Francesa.
 
De acordo com a assessoria da Comissão de Relações Exteriores, os parlamentares embarcam no próximo dia 13 de agosto com destino a três países: Guiana Francesa, Suriname e Haiti. No Suriname, a situação dos brasileiros ilegais também está gerando preocupações entre os senadores. No Haiti, a visita será para conhecer o trabalho das tropas brasileiros da Minustah (Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti ).
 
Além da visita aos brasileiros na Guiana Francesa, a comissão vai enviar um requerimento ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) e à Embaixada da França no Brasil cobrando explicações sobre como os brasileiros ilegais estão sendo tratados. O requerimento será encaminhado na próxima sessão da comissão, marcada para o dia 9 deste mês.
 
O senador Arthur Virgílio (PSDB), único parlamentar do Amazonas na Subcomissão Permanente da Amazônia e Faixa de Fronteira do Senado, disse estar acompanhando o assunto pela mídia e prometeu adequar sua agenda para ir à Guiana Francesa junto com os demais senadores.

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

Personificar a crise é um erro

Geraldo Magela-Agência Senado

Sérgio Guerra (de pé) alivia tom das críticas ao presidente do Senado




 

BELO HORIZONTE (AE) -  O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), disse ontem que é uma “simplificação” personificar a crise no Senado na figura do seu presidente, José Sarney (PMDB-AP). Após um encontro com o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), Guerra avaliou que falta “energia suficiente” ao peemedebista para o enfrentamento dos problemas, mas afirmou que não se trata de uma questão moral.
 
 “Não estou dizendo que o presidente Sarney não tem moral, não é essa a questão”, salientou o senador, depois de garantir que o vice-presidente da Casa e primeiro da linha sucessória, senador Marconi Perillo (PSDB-GO), tem “total moral para assumir o cargo”. Perillo é alvo de inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) por supostos crimes cometidos quando era governador de Goiás.
 
O presidente do PSDB reiterou a posição do partido para que o presidente do Senado se afaste por 60 dias e uma comissão suprapartidária assuma para comandar uma ampla reforma na Casa.

Culpados

Sobre a posição da bancada do PT, que ontem, horas depois de engrossar o coro pelo afastamento de Sarney, voltou atrás, Guerra se limitou a dizer que o PSDB não havia tratado do assunto.  “O objetivo traçado por todos nós é encurtar a crise”, afirmou, lembrando que após o prazo de dois meses, Sarney poderia retornar ao cargo para “enfim, impor a sua autoridade”. “O presidente Sarney, infelizmente, nós não torcemos para isso, e nós não votamos nele, não tem mostrado energia suficiente para enfrentar o problema”.
 
Embora tenha defendido punição para os responsáveis por irregularidades, o dirigente tucano avaliou que a superação da crise no Senado não se dará “pelo lado das pessoas, punindo uma pessoa aqui, outra lá na frente”. “Outras pessoas vão aparecer, outros comentários vão se fazer e outras denúncias vão surgir”, disse o senador.
 
Segundo Guerra, há uma crise geral nas esferas parlamentares do País - citou a Câmara dos Deputados, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. “Chamar essa crise de José Sarney é uma simplificação. Evidente que é uma crise com o José Sarney, mas há muitas crises por aí”, disse o tucano.
 
Aécio, que no início da semana havia afirmado que estava convicto de que Sarney saberia enfrentar os problemas que afligem o Senado, ontem preferiu não se envolver. “Uma reforma estrutural no Congresso é claramente necessária, agora os senadores é que vão decidir, se com a presença do presidente José Sarney ou não”, observou.
 

 

 

Início

 

 

 

 

Processo de Wallace não prevê pedido de prisão

Arquivo AC

Domingos Chalub acrescentou que Wallace terá amplo direito de defesa




Terezinha Torres

da equipe de A CRÍTICA
 
O desembargador Domingos Chalub reafirmou ontem que vai decidir até o dia 30 deste mês se acata denúncia do Ministério Público e abre ação penal contra o deputado Wallace Souza (PP) por associação para o tráfico de drogas, corrupção de testemunhas e porte ilegal de armas de fogo de uso permitido e uso restrito. O deputado foi notificado sobre a denúncia no dia 25 do mês passado e tem até o próximo dia 10 para apresentar suas alegações preliminares.
 
Ontem, Chalub explicou que, se a defesa do deputado juntar ao processo novos documentos ou informações relevantes, será necessário abrir vistas ao Ministério Público Estadual. “Depois disso, poderei elaborar meu relatório e anunciar, por meio do Diário Eletrônico da Justiça, o julgamento sobre a aceitação ou não da denúncia”, disse o desembargador. No julgamento, acrescentou Chalub, tanto o MPE quanto a defesa de Wallace poderão fazer a sustentação oral de suas alegações.
 
Chalub salientou que, no processo aberto no TJA, não há pedido de prisão preventiva. O desembargador observou, ainda, que o processo não está correndo em segredo de Justiça. “Não decretei o segredo de Justiça porque (o processo) é de interesse público e social”, argumentou.
 
O desembargador Domingos Chalub disse ontem que o Diário Eletrônico de Justiça deve publicar, nos próximos dias, o julgamento da denúncia por injúria, calúnia e difamação movida pelo Ministério Público Estadual (MPE) contra o deputado estadual Wallace Souza. A denúncia foi acatada por unanimidade de votos no dia 4 de outubro de 2007. A ação movida pelo MPE foi provocada pelo juiz da Vara de Execuções Criminais (Vecute), José Ribamar Costa Soares, que se sentiu ofendido com declarações feitas por Wallace Souza no programa “Canal Livre”, na TV Rio Negro, em 2006.
 
Internado

O deputado Wallace Souza vai permanecer internado por, no mínimo, mais uma semana para tratar de problemas hepáticos. O gastroenterologista Sidney Chalub, informou que exames revelaram uma alteração no fígado do deputado, de modo que será necessário um tratamento à base de medicação pelos próximos sete dias. Ontem, o parlamentar – que está internado no Prontocord desde terça-feira – apresentou um quadro estável, com dores abdominais menos intensas.
 
O cardiologista Juan Vila, integrante da equipe médica que acompanha o deputado, disse que ele dormiu bem na noite de quarta para quinta-feira e passou o dia de ontem deitado. “Ele só saiu da cama para fazer o exame de ressonância magnética, de modo que não pressionou o abdômen e, por isso, não tem sentido dores”, comentou.

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

Senador aponta para concessões



 

A deportação de brasileiros ilegais presos na Guiana Francesa não é novidade, porém, segundo o grupo localizado por A CRÍTICA em junho deste ano, os ilegais estão sendo mal-tratados pela polícia francesa. O senador Artur Virgílio critica a postura da diplomacia brasileira nos últimos anos. “Essa obsessão do governo brasileiro por um assento no Conselho de Segurança das Nações Unidas está levando o País a fazer muitas concessões aos nossos vizinhos. Esse caso dos brasileiros expulsos da Guiana Francesa pode ser emblemático dessa postura de concessões, mas ainda temos que averigüar”, disse o parlamentar.  
 
Acompanhamento

O deputado federal Átila Lins (PMDB-AM) disse ontem que irá sugerir à Câmara dos Deputados que envie alguns parlamentares para compor a delegação brasileira que viajará, em agosto, para a Guiana Francesa. “Nossa ideia era convocar autoridades brasileiras e francesas para explicarem o que está acontecendo, mas como alguns senadores irão até a Guiana Francesa, acho que podemos acompanhá-los”, disse o parlamentar.
 
Átila diz que ainda que aguarda a resposta do cônsul brasileiro em Caiena sobre a situação dos brasileiros que estão sendo deportados para o Amazonas. “Nós aprovamos um requerimento cobrando explicações, e esperamos que o cônsul venha à Câmara até antes do recesso parlamentar (16 de julho a 3 de agosto). Estamos fazendo pressão para que isso aconteça”, garantiu o deputado.
 
Na semana passada, Átila fez uma visita à Embaixada da França em Brasília durante a qual obteve explicações preliminares sobre a deportação dos brasileiros. “Eles deram a entender que não sabiam que estavam deportando para o Amazonas. Queremos mais informações sobre o assunto”, disse. 

 

 

 

 

Início

 

 

 
 
 

ONG mostra custo do parlamento




 

 SÃO PAULO (FOLHAPRESS) - Levantamento da ONG Transparência Brasil indica que os parlamentares brasileiros são os que mais pesam no bolso dos cidadãos na comparação com sete outros países: Chile, México, Estados Unidos, Alemanha, França, Grã-Bretanha e Itália.  O estudo mostra que, no total, o salário e as verbas - para representação, viagens e contratação de assessores - a que têm direito os deputados federais e senadores brasileiros superam R$ 1 milhão ao ano, colocando os congressistas do Brasil como os mais bem pagos, excetuando-se os deputados dos Estados Unidos -cerca de R$ 3 milhões.  O levantamento informa que, no Brasil, deputado e senador recebem mais do que um parlamentar alemão (R$ 860 mil), francês (R$ 770 mil) ou britônico (R$ 760 mil). 
 
 No entanto, segundo a ONG, quando se faz a correção pelo indicador da renda per capita, os benefícios do congressista brasileiro ultrapassam os do deputado norte-americano e chegam ao topo da escala.  Os montantes a que um senador brasileiro tem direito representam 83 vezes o PIB (Produto Interno Bruto) per capita do Brasil -isso significa, de acordo com a Transparência Brasil, que, em média, um único senador se apropria de uma quantia equivalente à riqueza produzida por 83 brasileiros. No caso do deputado federal brasileiro, o número é 68.  O deputado dos EUA se apropria de um montante equivalente a 32 vezes o PIB per capita local.  O estudo indica ainda que, quando se analisam apenas os salários, os ganhos do deputado federal e do senador no Brasil são quase treze vezes o PIB per capita. Nos EUA, esse número não chega a quatro.
 
Por minuto

AONG já havia feito levantamento semelhante, em 2007. Na ocasião, revelou que o Congresso Nacional tinha o custo mais alto para a população em comparação aos parlamentos de 11 países. De acordo com o estudo da época, o congresso brasileiro gasta R$ 11.545,04 por minuto com os 513 deputados e 81 senadores.

 

 

 

Início

 

 

 

Cidades

 

 

 

Investimento em favor da vida

Antonio Menezes

A assinatura do Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil ocorreu após a inauguração das novas instalações do Hospital João Lúcio




Elaíze Farias
Da equipe de A CRÍTICA

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, assinou ontem, em Manaus, um investimento de R$ 9,3 milhões para combate à mortalidade infantil em 12 municípios do Estado, incluindo a capital. Não foi divulgada a data na qual os recursos estarão disponíveis nas contas dos municípios beneficiados.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, no Amazonas os maiores índices de mortalidade infantil de crianças com menos de um ano de idade, entre 2000 e 2007, aconteceram em Manaus (6.390), Parintins (399), Manacapuru (335), São Gabriel da Cachoeira (330) e Coari (294). Os outros seis municípios contemplados são Boca do Acre, Borba, Maués, Tabatinga, Tapauá e Tefé.

“A região Norte vem reduzindo os índices, mas queremos acelerar. O presidente Lula lançou o desafio que é reduzir em pelo menos 5% ao ano a morte de crianças com menos de um ano de idade. Para isso, o Ministério da Saúde vai alocar recursos financeiros, ampliar leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal, treinar e capacitar profissionais de saúde”, disse Temporão, durante a assinatura do Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil, em uma concorrida solenidade no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio.

O governador Eduardo Braga destacou que é preciso reforçar as unidades básicas de saúde no interior do Estado, daí a necessidade do Governo Estadual “ter mais ajuda do Governo Federal”. Ele lembrou que, no interior, o maior problema ainda está no período pré-natal. “Estamos estruturando políticas nas unidades básicas de saúde nos municípios. São 12 cidades que receberão recursos e que precisam ficar na média dos outros municípios do Estado”, disse.

Durante coletiva à imprensa, o governador informou que até o final do ano será construído o Instituto da Mulher, ao lado do Hospital 28 de Agosto. “Hoje, se uma mulher sofre um aborto tem que ir para uma maternidade, local que não é para tratar disso. Precisamos de um local de atenção específica de média e alta complexidade para a mulher”, disse o governador.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, entre as ações previstas no Amazonas estão implantação de 22 equipes de saúde da família, 25 núcleos de apoio à saúde da família e 29 leitos de UTI Neonatal.

Inauguração

O ministro José Gomes Temporão também participou, em Manaus, da inauguração das novas instalações do “João Lúcio”.  Antes da inauguração, o diretor do hospital, Joaquim Alves, apresentou as salas para a imprensa. A UTI terá 30 leitos e duas novas salas no Centro Cirúrgico. Outros 75 leitos foram distribuídos na Recuperação Pós-Anestésica, enfermarias de Clínica Cirúrgica e de Clínica Médica, Reanimação, Politrauma e Neurologia.

 

 

Início

 

 

 

 

Juiz se apresenta, é ouvido e está preso

Luiz Vasconcelos - 24/06/2009

Semana passada, PF cumpriu dois mandados, mas juiz (no detalhe) estava foragido




Joana Queiroz
Da equipe de A CRÍTICA

A Polícia Federal cumpriu ontem o mandado de prisão preventiva contra o juiz trabalhista do Município de Tefé, a 525 quilômetros de Manaus, Antônio Carlos Branquinho, e o oficial de justiça Jackson Medeiros de Matos. Eles estavam foragidos da Justiça há oito dias.

Branquinho e Medeiros tiveram a prisão preventiva decretada por um desembargador do Tribunal Regional Federal (TRF) de Brasília. Eles são suspeitos em crimes contra o meio ambiente e atentado aos bons costumes.

Segundo o delegado da Polícia Federal Caio Pellin, o magistrado e o oficial de justiça se apresentaram na Superintendência da Polícia Federal ontem à tarde, acompanhados de advogados. Segundo o delegado, o mandado de prisão foi cumprido.

Por volta das 16h, o juiz foi transferido para Brasília, onde será apresentado no Tribunal Regional Federal (TRF). Medeiros ficou preso na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro.

Além de Branquinho e Medeiros, a diretora da Vara de Tefé, Azenir do Carmo Monteiro, e do assistente-chefe do setor de Execução, João Batista Rodrigues Coelho, também tiveram a prisão preventiva pelo TRF acusados pelos mesmos crimes.

Os dois foram presos terça-feira, em Tefé, e foram trazidos para Manaus, onde ficaram presos por dois dias e depois foram liberados. O material com teor pornográfico, apreendido na casa dos suspeitos, foi encaminhado a Brasília.

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

Cocaína ia para a África

Divulgação

Raio X da Receita detectou a droga. Uma das caixas de som possuía densidade e coloração das imagens diferente




Joana Queiroz
Da equipe de A CRÍTICA

A equipe de fiscalização da Alfândega do Porto de Manaus apreendeu, ontem, 4,120 quilos de cocaína que estavam escondidos em caixas de som. A encomenda foi postada no dia 26 do mês passado, na agência dos Correios do bairro São José Operário, Zona Leste, e tinha como destino a cidade de Praia, em Cabo Verde, na costa da África Ocidental.

Segundo informações da assessoria de imprensa da Receita Federal, a apreensão da  droga ocorreu durante uma operação de rotina na agência dos Correios, onde cada encomenda é observada e analisada em um aparelho de raios X.

Além da caixa de som do tipo Extralife, que ocultava o pó, havia outras duas caixas auxiliares que disfarçavam a droga. Foi realizado o exame preliminar - narcoteste - que comprovou tratar-se de cloridrato de cocaína (brilho). O material foi encaminhado à sede da Polícia Federal, no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, para elaboração de laudo pericial.

Segundo a assessoria da Receita, as apreensões de droga em encomenda postadas nos Correios são frequentes. No primeiro semestre deste ano, foram feitas três apreensões de droga que foram postadas na cidade de Campo Grande (MS) para Manaus. As encomendas seriam enviadas para o exterior como encomenda expressa detectadas no Collis Postaux.

A soma da droga nas três apreenções foi de, aproximadamente, 15 quilos. Entre as drogas, a cocaína e o haxixe lideraram as apreensões, principalmente nas correspondências que tinham destino internacional para a Grécia e a Espanha.

 

 

 

Início

 

 

 

 

Obras na Feira da Banana

Euzivaldo Queiroz

Anúncio da reforma foi feito durante inspeção do Ministério Público no local




Jorge Eduardo Dantas
Da equipe de A CRÍTICA

A Feira da Banana, um dos pontos que compõem a Feira da Manaus Moderna, situada no Centro Histórico da cidade, vai passar por reformas estruturais e de funcionamento nos próximos 90 dias. O anúncio foi feito, ontem de manhã, pelo titular da Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento (Sempab), José Aparecido dos Santos, durante inspeção realizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) naquele lugar.

A reforma vai incluir a construção de boxes para os 99 permissionários da feira, a adoção de novos horários para carga e descarga e novos procedimentos de armazenamento da banana comercializada ali. Os feirantes não reagiram bem ao anúncio, dizendo que as mudanças se refletirão em queda no faturamento dos permissionários.

Segundo o titular da Sempab, a reforma será efetivada com a construção de boxes para cada permissionário, a fim de permitir melhores condições de armazenamento e estocagem das bananas. “Como está hoje, não pode continuar, com pessoas sentando em cima das bananas que serão vendidas”, falou.

Além disso, também serão criadas regras para disciplinar a a carga e descarga e o armazenamento dos produtos. Entre as medidas estudadas, está a adoção de um número limite de caminhões que poderia estacionar diariamente na feira para descarregar e a adoção de um depósito situado na região do Monte Cristo, a alguns metros da feira.

Paralisação é possível

José Aparecido declarou que a própria Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) seria responsável pelas obras e por isso não seria necessário um processo licitatório. Ele não descartou uma possível paralisação das atividades da feira para que a reforma possa ocorrer, mas destacou que a intervenção “está em estudo” e que um grupo de profissionais, oriundos de dez secretarias municipais, estão estudando como e o que fazer na feira.

Reordenação da feira

“O que queremos é reordenar e reorganizar a Manaus Moderna, preparando-a para a Copa de 2014. Esta é uma demanda da prefeitura e do Governo do Estado, não podemos brincar com este tipo de exigência que a Fifa fez”, disse o secretário José Aparecido, justificando as intervenções programadas.
 

 

 

Início

 

 

 

 

 

 

 

Perdão a dívidas de luz




Antônio Paulo
Da equipe de A CRÍTICA

BRASÍLIA (SUCURSAL) –  O Ministério de Minas e Energia (MME) analisa a possibilidade de perdoar as dívidas dos quase 70 mil desabrigados pelas enchentes do Amazonas que deixaram de pagar suas contas de energia no período da ocorrência das cheias dos rios.

O apelo foi feito pelo deputado federal Átila Lins (PMDB-AM), ao ministro Edson Lobão que, dizendo-se sensibilizado com a situação das vítimas, prometeu estudar a proposta. O MME deverá encomendar um levantamento à Amazonas Energia nos 58 municípios que estão em estado de emergência e das famílias que estão com as tarifas de luz atrasadas.

“Na minha peregrinação pelo interior pude constatar a aflição que toma conta das famílias que perderam o pouco que tinham e por não terem condições de liquidar suas contas de fornecimento de energia elétrica. Seria uma decisão extremamente nobre, que iria contribuir muito para minimizar as agruras dessas famílias”, disse Átila Lins.

O deputado afirmou estar certo de que o presidente Lula, o ministro Lobão e o presidente da Amazonas Energia, Flavio Decat, terão sensibilidade para atender à solicitação e ver nela a importância de beneficiar as famílias que estão em estado de desespero. “Elas perderam praticamente tudo do pouco que tinham. A situação ganhou tamanha dramaticidade, que levou o Governo a decretar estado de emergência em 58 dos 62 municípios do Amazonas.”

Ele lembra que o Governo Federal tem adotado medidas para atender às vítimas das enchentes não só no Amazonas, mas no Pará, Maranhão e Bahia, e muito ativo para minimizar os efeitos da grave crise financeira internacional, com a desoneração de impostos, diminuição do PIS/COFINS e diminuição da alíquota do IPI.

Recursos

A Defesa Civil Amazonas informa que já foram liberados pelos governos Estadual e Federal R$ 90 milhões para atendimentos emergenciais nas cidades atingidas pelas enchentes. Até agora foram entregues mais de 50 mil cestas básicas, distribuição de medicamentos, filtros de barro e kits de limpeza.
 

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

 

 

Princípio de incêndio assusta



 

Um princípio de incêndio, por volta das 12h30, no terceiro andar de um dos prédios do Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio desviou as atenções de quem estava ontem na solenidade.

O Corpo de Bombeiros foi chamado e conseguiu controlar a situação. Funcionários do Corpo de Bombeiros disseram que 38 pessoas teriam sido retiradas de apartamentos dos andares de baixo, informação desmentida pela Agência de Comunicação do Estado (Agecom).

A Agecom disse que a fumaça foi causada pela queima de papéis do arquivo morto. Segundo a Agecom, o fato não ocasionou a remoção de paciente ou o cancelamento de consulta ou  emergência. A direção do hospital vai abrir sindicância para apurar o caso.

 

 

 

Início

 

 

 

Nível começa a estabilizar

Clóvis Miranda - 02/07/2009

Para Valderino, o fato de águas não terem subido de quarta para quinta é um sinal de que rio Negro começará a descer




Emerson Quaresma
Da equipe de A CRÍTICA

O rio Negro deu ontem o primeiro sinal de que vai começar a descer em Manaus, segundo afirmou o engenheiro civil Valderino Pereira da Silva, encarregado pelo serviço hidrográfico do Porto Privatizado. Valderino, que todas as manhãs, às 6h, vai até a régua de medição do Porto para fazer a leitura do nível do rio, observou que nas manhãs de quarta e quinta-feira o Negro estabilizou em 29,77 metros. “Aparentemente o rio deu o primeiro sinal de descida. A água está parada e tudo indica que amanhã começa a descer. Faço a leitura às 6h, e às 10h deu um sinal de descida. Mas é melhor esperar a medição de amanhã (hoje)”, disse o engenheiro Valderino.

Se o rio não subir mais e estabilizar com 29,77 metros, ficará oito centímetros maior que a cota de 1953, com 29,69 metros, já considerada a segunda maior cheia em 107 anos de leitura hidrográfica do rio Negro. Valderino lembrou que naquele período o Negro parou de encher no mês de junho. A cota de 53, por exemplo, foi atingida no dia 9 de junho daquele ano. Já as enchentes que foram até o mês julho, segundo o engenheiro, somam até agora 20. Os sete anos restantes se deram no mês de maio.

Segundo o superintendente do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Marco Oliveira, o comportamento do rio e do clima quente é um padrão de final de cheia. Mas observou que esse mesmo padrão foi verificado no início do mês de junho, quando se pensou pela primeira vez no ano que o rio começaria a baixar. “No entanto, ocorreram várias chuvas e tivemos um repique. Choveu nos primeiros 15 dias de junho tudo o que deveria chover no mês e mais 30%, e chegou em, aproximadamente, a 150 milímetros até o dia 16 de junho”, disse o superintendente da CPRM.

De acordo com Marcos, quando acontece o auge da cheia, para o rio começar a baixar não depende mais das chuvas, e sim do represamento. No caso do Negro o represamento é feito pelo Solimões. No momento, segundo ele, o médio Solimões, na região de Manacapuru, se apresenta estável. Já na estação de Itapeua, no Município de Coari, o Solimões já começou a descer. “Mas outra informação importante é que o rio Amazonas está estável em Itacoatiara, e lá é onde afunila a descida das águas”, disse.

 

 

 

Início

 

 

 

 

Temperatura põe Norte em vantagem



 

José Gomes Temporão afirmou que os Estados da região Norte têm uma vantagem em relação aos do Sul e Sudeste para controlar o avanço da gripe suína devido à temperatura. “No Sul a nossa preocupação é com o inverno, que facilita a propagação do vírus. E também estamos no período de férias, muita gente viajando”, disse o ministro, que afirmou que haverá uma ampliação no sistema de análise das amostras dos casos suspeitos para três centros. Ele não disse em quais regiões do País serão criados esses locais.

O ministro informou, também, novas medidas adotadas pelo governo brasileiro. “Agora vamos internar somente pessoas com complicações e em situações de risco. É um doença nova e pouco conhecida, mas a maioria dos casos é benigna.”

Conforme o ministro, já existem vacinas sendo testadas para serem aplicadas na estação de inverno nos países do hemisfério Norte, mas que só chegarão ao Brasil no próximo ano. Ele disse, ainda, que não há restrições feitas aos voos domésticos no País e nenhuma recomendação ao uso de máscaras que, segundo ele, pode ser “constrangendor”.

 

 

 

 

Início

 

 


 

 

Ministro encerra mutirão carcerário



 

BRASÍLIA (DA SUCURSAL)  - O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, participa hoje, em Manaus, da cerimônia de encerramento do mutirão carcerário que realizado no Amazonas, desde 13 de abril, em parceria com o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

O mutirão analisou processos da população carcerária de presídios de Manaus e em mais oito comarcas do interior. As atividades são parte do conjunto de medidas voltadas para o acompanhamento do sistema carcerário, coordenada pelo CNJ para avaliar e revisar a situação prisional.

Às 11h, o ministro visita o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), quando conhecerá a panificadora, lavanderia e espaço com artesanatos confeccionados pelos presidiários. Também inaugura o Núcleo de Advocacia Voluntária (NAV) de Manaus.

À tarde, após reunião com os juízes amazonenses de primeira instância das Justiças estadual, federal e do trabalho, Gilmar Mendes encerra o mutirão carcerário, em cerimônia às 17h15, no TJA.

Na ocasião, também serão assinados dois termos de cooperação técnica. O primeiro instala o NAV no Compaj, responsável pela assessoria jurídica gratuita a presos carentes e familiares sem condições financeiras para contratar um advogado. O segundo termo visa implantar o projeto “Casa de Justiça e Cidadania de Manaus”, desenvolvido pelo CNJ, vai utilizar espaços físicos do Judiciário para prestar serviços à sociedade com cursos, palestras e oficinas.

 

 

 

Início

 

 

 

Brasil

 

Airbus se despedaçou ao se chocar com água

AFP - arquivo

Homens da Marinha brasileira recolhem maior pedação do Airbur da Air France que caiu no dia 1º de junho passado



 

LE BOURGET, França (AFP) - O avião da Air France que fazia o trajeto entre Rio e Paris e que caiu no Oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo não se partiu em pleno ar, afirma o Birô de Investigação e Análises (BEA) francês, encarregado de investigar a queda do voo 447 em 1º de junho. Os investigadores também destacaram que as questionadas sondas Pitot não foram a causa do acidente.

“A análise visual dos destroços do avião mostram que a aeronave não foi destruída em voo. Parece ter se chocado com a superfície da água em linha de voo, com uma forte aceleração vertical”, afirmou Alain Bouillard, da BEA, ao apresentar à imprensa o relatório preliminar das investigações. Desde 6 de junho, 640 pedaços do avião foram encontrados no mar.

O especialista também esclareceu algumas as dúvidas a respeito das sondas Pitot. “As sondas são o primeiro elo da corrente anemométrica (que capta a velocidade do ar em deslocamento através da fuselagem)”, explicou Bouillar. “As sondas Pitot aparecem como algo muito suspeito nas incoerências da velocidade. São um dos fatores, mas não é o único; é um elemento, mas não é causa”, insistiu.

No início das investigações, o BEA notou “incoerências” nas velocidades medidas, afirmando, no entanto, que nada permitia vincular as causas do acidente do Airbus A330 às sondas Pitot, que medem a velocidade em voo. Quanto à necropsia realizada pelos legistas brasileiros nos corpos dos passageiros, o BEA informou ainda não ter os resultados. Mas anunciou que que as buscas acústicas das caixas-pretas prosseguirão até 10 de julho.

 

 

 

Início

 

 

 

Seguradoras já pagaram um milhão



 

PARIS, França (AFP) - As seguradoras da Air France já pagaram cerca de um milhão de euros aos parentes das vítimas do voo 447 entre Rio de Janeiro e Paris, a título de indenização, anunciou ontem Patrick de la Morinerie, da Federação Francesa das Seguradoras (FFSA, sigla em francês).

Os parentes das 58 vítimas, 19 delas francesas, pediram e obtiveram parte da indenização a que têm direito. O voo tinha 216 passageiros no total. O caso dos 12 tripulantes é tratado em separado.

Em virtude de uma convenção internacional, cabe às companhias indenizar as famílias de vítimas de acidentes aéreos, mesmo que elas não tenham cometido nenhum erro comprovado.

Trata-se da convenção de Montreal (Canadá), criada em 1999 e assinada por 91 países, entre os quais o Brasil e a França.
 
A convenção estipula que os parentes podem pleitear uma primeira parcela de indenização, de até 17.600 euros por vítima. Sobre o custo total das indenizações, Morinerie explicou que as informações fornecidas até agora pelos parentes são “amplamente insuficientes para estabelecer uma estimativa realista”.

 

 

 

 

Início

 

 

 

Anistiados imigrantes ilegais

Rodrigues Pozzebom/ABr

Lula na cerimônia de sanção da lei que beneficia imigrantes em situação ilegal



 

BRASÍLIA (ABr) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou, na tarde de ontem, o Projeto de Lei 1.664-D, de 2007, a chamada Lei da Anistia Migratória, que autoriza a residência provisória de cidadãos estrangeiros em situação irregular no Brasil.

A nova lei permite que todos os estrangeiros que estejam em situação irregular e tenham entrado no Brasil até o dia 1º de fevereiro deste ano regularizem sua situação e tenham liberdade de circulação, direito de trabalhar, acesso à saúde e educação públicas e à Justiça.

A medida alcança pessoas que tenham entrado irregularmente no Brasil, cujo prazo do visto de entrada tenha vencido ou que não tenha se beneficiado da última Lei de Anistia Imigratória, de 1998.

Pelos cálculos do Ministério da Justiça, em torno de 50 mil pessoas poderão ser beneficiadas. Há, no entanto, entidades internacionais que estimam em até 200 mil o número de estrangeiros em situação irregular no Brasil.

Os interessados poderão fazer o pedido de regularização até o final do ano (a data provável é 30 de dezembro). Isso depois que o Diário Oficial da União publicar a portaria do Ministério da Justiça normalizan do os procedimentos previsto na lei. A taxa de regularização é de R$ 67 e a de expedição da carteira, de R$ 31.

A medida, para o secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, “humaniza a questão migratória” e combate o tráfico de pessoas que entram no Brasil e são empregadas em trabalhos análogos à escravidão. É o que ocorre, por exemplo, com os trabalhadores bolivianos contratados informalmente por empresas de confecção em São Paulo.

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

 

Mundo

 

 

Ninguém segura ambição nuclear de Pyongyang

KCNA via KNS/AFP

Regime de Pyongyang mostrou ao mundo os testes de 5 de janeiro deste ano



 

SEUL, Coreia do Sul (AFP) - A Coreia do Norte disparou ontem quatro mísseis de curto alcance em sua costa leste, aumentando a tensão internacional, no momento em que uma delegação americana negocia na China a aplicação das sanções para pressionar Pyongyang.

“Parece que são mísseis terra-mar, que foram lançados para o mar Oriental (mar do Japão)”, declarou à AFP uma fonte militar sul-coreana, ao comentar o lançamento dos primeiros dois projéteis. O primeiro míssil foi disparado às 17h20 locais (5h20 de Manaus) e o segundo às 18h de uma base próxima do porto de Wonsan, segundo o ministério sul-coreano da Defesa.

A Coreia do Norte anunciou na quarta-feira que realizaria manobras militares durante julho, e pediu ao Japão que não se aproximasse de suas costas no período. Esta é a primeira ação militar do país comunista desde que o Conselho de Segurança da ONU impôs sanções mais severas em 2 de junho, em função do teste nuclear de 25 de maio.
 
Provocação

O primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, afirmou que os disparos norte-coreanos são um ato de provocação, segundo a agência japonesa Jiji.

Em Pequim, uma delegação americana liderada por Philip Goldberg, funcionário do Departamento de Estado, se reuniu com autoridades chinesas para examinar a aplicação das sanções impostas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Goldberg não comentou a opinião da China e falou apenas sobre a postura de seu país:  “A posição dos Estados Unidos é que nós queremos que os diversos aspectos das resoluções funcionem. Nossa intenção é aplicar plenamente as resoluções”.

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

Chávez paga milhões a grupo



 

CARACAS, Venezuela (AFP) -  A Venezuela vai pagar hoje ao grupo espanhol Santander os primeiros US$ 630 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão), dos US$ 1,05 bilhão acertados em maio pela compra do Banco da Venezuela, no primeiro pagamento realizado pelo governo em função das nacionalizações em 2009.

Segundo o cronograma divulgado pelo governo, além da transferência de fundos, correspondentes a 60% do total, nesta sexta também será assinado o documento de compra e venda. O pagamento dos US$ 420 milhões restantes será feito em duas parcelas, em outubro e dezembro. Desta maneira, o governo de Hugo Chávez, que anunciou a nacionalização desta instituição financeira há 11 meses, passa a controlar 96% das ações do banco, que desde 1996 estavam em mãos do grupo espanhol.

Também se converte assim no ato mais poderoso do sistema financeiro venezuelano, controlando 25% do setor bancário nacional. Segundo o economista Asdrúbal Oliveros, diretor da empresa Ecoanalítica, a Venezuela destinará recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento (Fonden) ao pagamento dos compromissos gerados pelas estatizações. Para isso, o Estado dispõe de até US$ 8 bilhões (cerca de R$ 16 bilihões).

Enquanto isso, o governo venezuelano seguia acompanhando a situação em Honduras, onde o presidente Manuel Zelaya foi preso e exilado na Costa Rica. No domingo, o embaixador da Venezuela na OEA, Roy Chaderton, denunciou neste domingo um presumível sequestro, em Tegucigalpa, de diplomatas de seu país, Cuba e Nicarágua, depois da detenção do presidente de Honduras, Manuel Zelaya.

 

 

 

Início

 

 

 

 

Julio Ventilari

 

Incentivo fiscal

 

 

Início

 

 

 

Sim & Não

 

 

Na iniciativa privada isso é proibido

 


 
O filósofo Thomas Hobbes dizia que o Estado, enquanto ente social coletivo, era um grande monstro, o “Leviatã”. Veja se ele não tinha razão: A Secretaria de Segurança nomeou uma servidora de forma retroativa a 1º de março de 2008. Ou seja ela está no cargo há um ano e três meses. Com a demora, a SSP terá de pagar gratificação retroativa. Outro caso: A Procuradoria Geral deu férias de cinco dias para uma procuradora referente ao ano de 2004, ou seja há cinco anos.
 
Prestigiada  Se depender dos discursos, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, terá votação semelhante a do presidente Lula no Amazonas. Pelo menos foi o que expressaram, ontem, prefeitos do interior.
 
Tertius  Um analista experimentado da cena política amazonense lamenta que a eleição para o governo, no próximo ano, já esteja polarizada. Não há uma terceira via com chances reais, analisa.
 
Money  O Governo do Estado comprou da Petrobras Distribuidora R$ 75 milhões em combustíveis para os veículos oficiais. A empresa foi a única, de cinco consultadas, a fazer uma proposta comercial    para fornecer gasolina e diesel.
 
Verde Há um ano substituindo Jefferson Péres no Senado, Jefferson Praia (PDT) deseja se tornar o “senador verde”, bem  na linha aberta por Evandro Carreira, hoje colega de PDT.
 
Verdoso  Praia vai a COP-15, em Coppenhagen (DIN), onde será discutida a renovação do Tratado de Kyoto e estabelecida novas metas de sustentabilidade.
 
Parceria O secretário Municipal de Esportes, Fabrício Lima, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, Antônio Silva, acertaram os ponteiros ontem para firmar parceria na promoção de grandes eventos em Manaus no próximo ano. “Temos projetos ousados e a indústria vai apostar neles”, afirma Fabrício.
 
Mimo Análise do relatório de despesa de maio com uso de cartão corporativo aponta que vereadores usam o benefício até aos sábados e domingos quando não há atividade na Câmara. Em alguns casos neses dias são quando ocorrem os maiores gastos ($$$).
 
Fummus bonnus A moda pegou. Depois do deputado Sinésio Campos (PT), agora é o vereador Marcelo Ramos que promove seminário de avaliação do mandato.
 
 Mortas O Tribunal de Contas do Estado julgaria ontem as contas de 2003 da extinta Empresa Municipal de Transportes Urbanos (EMTU) e de 2005 da finada Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama). Agora vai!!!
 
Vaga no céu O presidente da Assembleia, Belarmino Lins (PMDB), anunciou que a Casa paga,  dia 15, a primeira parcela do 13º salário dos funcionários.
 
Paquera  Corria normal a entrevista que o dublê de apresentador e vereador Elias Emanuel fazia com um delegado da Polícia Federal até que uma telespectadora entrou na linha para perguntar se o policial era casado. A paquera on line foi cortada na hora.
 
 Verdusco  Do “vice” Omar Aziz (PMN), ontem, garantindo que o Amazonas pode ser o maior produtor de peixe em cativeiro do País: “Além dos atributos geográficos, as novas tecnologias permitem ampliar os criadouros de forma sustentável”.
 

PINGA - FOGO

* Ficou congestionado ontem o site www.pgtn.fazenda.gov.br, que lista os devedores inscritos na dívida ativa da União. A turma do calote teve os nomes revelados  na rede mundial.
 
*  Muito engraçado: o Airbus é um avião francês, a Air France é uma companhia francesa, os investigadores do acidente com o vôo 447 são franceses. Só que querem responsabilizar os controladores brasileiros pelo acidente.
 
*  O “cordão dos puxa” era enorme, ontem, na reinauguração do Pronto Socorro Infantil João Lúcio. O Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e o governador Eduardo Braga quase não pisaram no chão de tantos, digamos, afagos.

 

 

 

 

Início

 

 

JORNAL DO COMMERCIO

 

Economia

 

 

Puras seleciona trainees no Amazonas - 03/07/2009


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Interessados em ingressar no Programa Nutricionista Trainee da Puras, empresa que administra mais de mil restaurantes em todo o Brasil, podem participar do processo seletivo via web

Por Redação JC

 

 

Interessados em ingressar no Programa Nutricionista Trainee da Puras, empresa que administra mais de mil restaurantes em todo o Brasil, podem participar do processo seletivo via web. As inscrições estão abertas e os trainees são preparados para se tornar gerentes de restaurante ou profissionais da área comercial. A empresa selecionará, em julho, 21 trainees em todo o país. No Amazonas, há três vagas neste mês, e a abertura de outras cinco está prevista até o final do ano.
As inscrições podem ser feitas através do site da Puras (www.puras.com.br), acessando os links “fale conosco/trabalhe conosco/programa de nutricionista trainee”. Cadastro de currículos, preenchimento de formulário e entrevista de recrutamento e seleção, prova de conhecimentos sobre a empresa e sobre o mercado de refeições coletivas são realizados virtualmente. Em uma segunda etapa, as provas online testam conhecimentos de língua portuguesa, informática, inglês, matemática e nutrição. Na última fase, o candidato participa de uma entrevista presencial na regional em que há a vaga pretendida.
A Puras procura pessoas com perfil empreendedor, conforme destaca a coordenadora corporativa de Gestão de Pessoas/Desenvolvimento de Profissionais da empresa, Samantha Lopes Kopp Catão. Os candidatos devem ter se formado há, no máximo, dois anos ou podem estar no último ano de faculdade, desde que já tenham cumprido todos os estágios obrigatórios.

Publicação JC

 

 

Início

 

 

 

Desoneração do IPI amplia vendas em 8% - 03/07/2009

 



Aquecido pela redução de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos artigos importados, o varejo de material de construção na capital amazonense cresceu praticamente 4,58% em junho na comparação a igual período do ano passado

Por Henrique Xavier

Aquecido pela redução de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos artigos importados, o varejo de material de construção na capital amazonense cresceu praticamente 4,58% em junho na comparação a igual período do ano passado. A alta nas vendas também foi sentida em nível nacional, segundo a Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), que apontou o avanço médio de 5,5% no mesmo período em outras capitais.
O galope das vendas de material de construção no Amazonas, tendência apontada como usual pela Anamaco em relação aos investimentos em construção civil nas subsedes da Copa do Mundo de 2014, fez os lojistas manauenses reverem a baixa expectativa de crescimento para este ano. No início do ano, em pleno furor da recessão econômica, os lojistas mais otimistas da capital amazonense esperavam aumento de 0,5% nas vendas acumuladas no semestre. Essa estimativa saltou para 2,52% em abril, fechando em 3,81% em maio contra os atuais 4,58%.
O presidente da Anamaco, Cláudio Conz, afirmou em entrevista ao Jornal do Commercio que, apesar dos efeitos e turbulência na economia causada pela crise internacional no segundo semestre de 2008, o setor de material de construção pode ter um crescimento semelhante ao que está previsto para a China no mesmo período. De acordo com o executivo, o número de imóveis lançados e vendidos no ano passado, cujos contratos têm de ser cumpridos, irá gerar a necessidade de consumo dos produtos de material de construção em Manaus. “No caso de Manaus, o fim da temporada das chuvas e a evolução das obras para o campeonato mundial vai alavancar as vendas definitivamente, podendo alcançar cerca de 8% no faturamento acumulado deste ano”, avaliou.

Setor faz comemoração

Conz disse que o setor comemorou o anúncio feito pelo governo federal no último dia 29 de junho, da prorrogação dos incentivos de desoneração de alguns dos principais produtos do varejo até o fim de dezembro. Com a redução do IPI incidente sobre materiais de construção, produtos como o cimento, tinta e cerâmica importada tiveram uma redução média nos preços de 8,5% em todo o país. “Em Manaus, as lojas tiveram que trabalhar com um preço médio, porque os estoques ainda estavam com mercadorias com o IPI antigo e, em contrapartida, o consumidor já estava solicitando o desconto no balcão. Agora, que mais de 50% dos estoques antigos já giraram, a tendência é a de que os preços destes produtos caiam ainda mais para o consumidor final”, explicou.
O diretor da Ceceam (Centro do Comércio de Importados do Amazonas), Celso Gonçalves Santos, avaliou que a prorrogação do IPI vem dar fôlego a vários setores da economia dos importados no sentido de melhorar as vendas e ampliar o número de empregos e investimentos na cadeia varejista.

Efeito negativo do dólar

O executivo fez questão de frisar que há muito tempo o segmento de importados, cada vez mais pressionado pela alta da moeda americana, esperava um incentivo para ampliar as vendas. “Há muitos IPIs de produtos do setor com alíquotas de 10%, 18%. A proposta de fechar alíquota de importados em um patamar de 5% seria perfeito. Assim teríamos apenas duas alíquotas –a zerada e a de 5%”, afirmou.
O otimismo parece de fato a linha de raciocínio do momento econômico. Pelo menos no entendimento do lojista José Moraes Gomes, atuante no setor de materiais de construção, para quem as vendas no segundo semestre irão deslanchar a partir das liberações de crédito destinadas ao programa ‘Minha Casa, Minha Vida’. “Nossa estimativa preliminar é a de que, até junho de 2010, entre aprovação e construção, estejam sendo feitas 100 mil unidades em Manaus. Como o setor tem um ciclo muito longo, não se pode, no meio de um programa desta magnitude, sofrer um aumento dos preços dos produtos”, finalizou.

Publicação JC

 

 

 

Início

 

 

Sudam aprova projetos de R$ 600 milhões para empresas da ZFM - 03/07/2009

 



As empresas vão poder se beneficiar da redução de 75% de seu IR, garantindo mais capital para o incremento da produção e concorrência nos mercados regional e nacional.

Por Redação JC



Trinta e dois projetos de 16 empresas do PIM (Polo Industrial de Manaus) que representam R$ 600 milhões de incentivos fiscais e a geração/e ou manutenção de 24,3 mil empregos diretos foram aprovados pela Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia), com benefícios do IR (Imposto de Renda). Os projetos são de implantação, ampliação, modernização e diversificação da produção de empresas que vão produzir bens intermediários para atender a demanda de grandes fabricantes locais.
A entrega dos laudos foi feita na quinta-feira à tarde pelo superintendente da Sudam, Djalma Mello, que considerou os projetos importantes para a região por se tratar de empresas com forte capacidade de geração de emprego.
Os projetos foram aprovados no início de junho pela diretoria colegiada da instituição. Com a aprovação, essas empresas vão poder se beneficiar da redução de 75% de seu Imposto de Renda, garantindo mais capital para o incremento da produção e concorrência nos mercados regional e nacional.
As empresas beneficiadas foram a 3M Manaus Indústria de Produtos Químicos, Alva da Amazônia Indústria Química, Brasfanta indústria e Comércio da Amazônia, Cookson Eletronics Amazônia, Dafra da Amazônia Indústria e Comércio de Motocicletas, Haobao Motor dwo Brasil, H-Buster da Amazônia Indústria e Commercio, IBT Indústria brasileiura de Televisores, Indústrias Explanada, Keinhin Tecnologia do Brasil, Panasonic do Brasil, Reflect Industria e Comércio, Rexam Amazônia, Saldanha Rodrigues, Sony Brasil e Superior da Amazônia.
Na opinião Djalma Mello, esse benefício permite a essas empresas, principalmente as que vão se modernizar, uma melhor posição na disputa do mercado interno, externo com a globalização da economia.

Aprovação passa por várias etapas

Segundo Mello os projetos aprovados vão se somar aos cerca de 600 empreendimentos já existentes no PIM.
O dirigente explicou que a Sudam aprova projetos de incentivos fiscais com redução do Imposto de Renda para toda a Amazônia, porém os do Amazonas representam mais 60%, vindo em seguida no ranking o Pará.
Para ser contemplado com o Imposto de Renda os empreendimentos já devem ter atingido no mínimo 20% da produção projetada. “Não avaliamos projetos no papel, ou seja, os seja os mesmos já devem estar em funcionamento, porque os tecnicos fazem vistoria in loco”, garantiu.
A aprovação dos projetos da Sudam passa por várias etapas. Inicialmente é feita uma pré-análise dos mesmos na sede do órgão, na cidade de Belém, em seguida os técnicos fazem uma vistoria nas empresas. Quando retornam para a Sudam é feita a análise propriamente dita, sendo concedido ou não o benefício fiscal. “Isso envolve um trabalho grande para uma equipe composta de 14 técnicos”, disse Mello.
Os consultores presentes na entrega dos laudos elogiaram a atuação da Sudam, ressaltando a agilidade dos trabalhos nessa nova gestão.
O consultor econômico Assis Mourão, que estava acompanhando o projeto da Keinhin do Brasil -que obteve três laudos- destacou a atuação da superintendência. “Atualmente está havendo maior agilidade na liberação dos projetos e isso é salutar”, disse.

Publicação JC

 

 

 

 

Início

 

 

 

Ministro anuncia investimentos de R$ 10 mi - 03/07/2009

 



A piscicultura no Amazonas está recebendo investimento de mais de R$ 10 milhões para execução de projetos no setor

Por Alyne Araújo

A piscicultura no Amazonas está recebendo investimento de mais de R$ 10 milhões para execução de projetos no setor. Os recursos incluem as fábricas de gelo e abastecimento a óleo diesel, com obras encaminhadas, além da entrega de seis caminhões frigoríficos para as prefeituras de Manaus, Benjamin Constant, Boca do Acre, Careiro Castanho, Humaitá e Manacapuru. A informação foi prestada pelo ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin, na última quinta-feira, 2, na 3ª Conferência Estadual de Aqüicultura e Pesca do Amazonas, no auditório da reitoria da UEA (Universidade do Estado do Amazonas).
O evento teve como principais objetivos a consolidação de políticas de Estado para o desenvolvimento sustentável da aquicultura e da pesca, discutir planos sustentáveis para a categoria dos pescadores, estabelecer parcerias com o governo e prefeituras e divulgar investimentos e recursos para o desenvolvimento do setor pesqueiro.
Outra obra já inaugurada na última quinta-feira na capital foi a unidade de recepção de alevinos. Segundo Gregolin, este ano já foram destinados cerca de R$ 464 milhões para o desenvolvimento da piscicultura em todo o país.
“São muitos projetos, então fica difícil mensurar números de investimentos exatos. Entretanto, podemos assegurar que todas as obras, todos os recursos vão ter condições para garantir a modernização da frota pesqueira aqui no Amazonas. Vamos ainda procurar desenvolver atividades de formas mais intensas em vários municípios amazonenses”, declarou Gregolin.
Ainda segundo o ministro, investimentos como esses no Amazonas são de extrema importância para a classe pesqueira. “O Estado possui um enorme potencial para desenvolvermos planos sustentáveis que sejam capazes de consolidar o segmento pesqueiro e ainda desenvolvermos políticas setoriais”, comentou.
Durante a conferência ainda foi discutida a questão do seguro defeso que já beneficia mais de 40.000 pescadores que não possuem outra fonte de renda. Conforme o deputado estadual e representante da Fepesca (Federação dos Pescadores do Estado do Amazonas e Roraima), atualmente são mais de 45 mil pescadores e 2.000 embarcações registrados na Federação.
Na avaliação do deputado, o segmento pesqueiro, é bastante impulsionado no Amazonas e traz benefícios para o Brasil como um todo, pois, 85% das exportações brasileiras são de peixes que vão para 36 países. Ao todo, mais de 10 mil pessoas são beneficiadas com aproximadamente 10,5 mil toneladas de pescado. “São mais de 270 mil pessoas envolvidas no setor primário, o que equivale a duas zonas francas e meia produzindo. Ou seja, o segmento pesqueiro impulsiona bastante o Estado”, destacou.
O ministério da Pesca e Aquicultura também possui parcerias com a Sepror (Secretaria de Produção Rural como cursos de assistência técnica e extensão. “São muitos cursos para piscicultura no Estado inteiro, o que representa um volume expressivo de recursos e principalmente de ações estruturantes”, afirmou o secretário de produção rural, Eron Bezerra.

Publicação JC

 

 

 

Início

 

 

 

 

Grupo Guremi participa do Prime com três projetos - 03/07/2009

 

 



O Grupo Guremi participou na última quarta-feira do treinamento de três dias dado às empresas selecionadas pelo Programa Prime (Primeira Empresa Inovadora) no Estado com um total de três projetos aprovados

Por Henrique Saunier

O Grupo Guremi participou na última quarta-feira do treinamento de três dias dado às empresas selecionadas pelo Programa Prime (Primeira Empresa Inovadora) no Estado com um total de três projetos aprovados. O encontro ocorreu na sede da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas) e teve como destaque o projeto de construção do primeiro centro completo de saúde ocupacional do Amazonas, que ganhou conceito 8,7 –de uma avaliação de 6 a 9.
O engenheiro especialista do Grupo, Gilberto Maranhão de Barros, esteve presente em todo o processo de preparação a fim de adquirir o benefício de R$ 120 mil da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) como apoio financeiro para operacionalizar a proposta. Gilberto disse que o valor seria apenas um começo de um grande investimento que um complexo de saúde desse porte exige. “O centro que pretendemos fazer será pioneiro na cidade e tem que ser completo, então iremos precisar de vários tipos de equipamentos, desde fisioterapêuticos até máquinas de raio-x, e isso custa muito”, enfatizou o engenheiro.

Prime escolhe 92 empresas entre 259

O Prime, que teve seu processo de seleção efetuado pelo Finep, escolheu 92 empresas com pouco tempo de funcionamento que apresentaram projetos de caráter inovador. A seleção aconteceu com 259 empresas concorrentes no Amazonas para inicialmente 120 vagas, porém somente 92 atenderam os pré-requisitos necessários. O treinamento é a segunda fase do programa, onde as 91 empresas (somente uma faltou ao treinamento, sendo automaticamente eliminada do processo) terão que colocar em prática tudo o que aprenderam, apresentando um plano de negócios até o dia 28 de agosto.
Gilberto afirma que o projeto é audacioso e atenderá uma grande demanda na cidade. “Uma das clínicas mais completas de Manaus oferece somente 15 dos mais de 20 serviços de saúde ocupacional que existem. Queremos mudar esse quadro oferecendo às empresas um leque de serviços em um só local, assim os funcionários não precisarão, por exemplo, ir bater raio-x em um local e fazer exame de sangue em outro”, explicou ele.
O Grupo Guremi atua há oito anos e agrega cinco empresas, atuando em quatro atividades diferentes: representação comercial de acessórios industriais; compra e venda de imóveis; marketing; e saúde e segurança do trabalho. Uma das empresas do Grupo é a Qualitat Consultoria, também participante do Prime com o projeto de revitalização de casas de farinha no Amazonas. A sócia-proprietária, Aline Maciel Guimarães, explicou que a experiência da empresa em segurança de alimentos e do trabalho, além de gestão da qualidade e ambiental, será vital na realização do projeto, que tem como objetivo implantar ferramentas da área de atuação da Qualitat nos locais produtores de farinha, produto de grande consumo do amazonense. “Esperamos realizar melhorias no processo de feitura da farinha, já que o Amazonas é o maior produtor desse alimento na região Norte e a produção hoje é quase artesanal e pouco higiênica, além de trazer riscos ao farinheiro”, declarou.
Outro projeto tido como inovador pelo Prime foi o da empresa Ecobios, também do grupo Guremi, que pretende trabalhar na produção de enzimas para a indústria de alimentos e de couro. As enzimas atuam como aceleradores no processo de produção de alimentos e bebidas. A proprietária Yamile Benayon Alencar falou da importância do Prime, um “programa que vem atender as empresas com subsídios para que elas apareceçam no mercado e se destaquem entre as grandes companhias para tentar uma fatia no mercado”.

Publicação JC

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

Produção sobe em maio, mas tem queda recorde em 12 meses - 03/07/2009

 

 

 



A produção industrial registrou alta de 1,3% em maio, na comparação com abril, informou na quainta-feira o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

Por Redação JC

A produção industrial registrou alta de 1,3% em maio, na comparação com abril, informou na quainta-feira o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Trata-se do quinto resultado positivo consecutivo, o que representa um acúmulo de 7,8% de ganho entre janeiro e maio. Em abril, a alta havia sido de 1,2% (dado revisado; a leitura original era de alta de 1,1%). Em relação a maio de 2008, porém, a indústria teve retração de 11,3% -sétimo resultado negativo consecutivo nessa comparação.
No acumulado dos últimos 12 meses, a produção industrial tem recuo de 5,1%, ante 3,9% nos 12 meses imediatamente anteriores. É o nível mais baixo desde o início da série histórica, em 1991.
De janeiro a maio, a produção industrial acumulou queda de 13,9%, na comparação com período correspondente no ano passado.
A Pesquisa Industrial Mensal demonstra que houve aumento de produção em 20 dos 27 ramos pesquisados em maio, na comparação com o mês anterior. O destaque ficou por conta da indústria da indústria farmacêutica, com avanço de 9,7%.
Por outro lado, os principais resultados negativos foram constatados nas produções de fumo (-8,4%), produtos de metal (-3%) e borracha e plástico (-2,7%).
Entre as categorias de uso, os bens de consumo duráveis tiveram alta de 3,8% em relação a abril, seguidos de bens de consumo semiduráveis e não duráveis (1,3%), bens intermediários (1,2%) e bens de capital (0,7%).
Já em relação a maio de 2008, houve queda em 22 dos 27 subsetores avaliados, sendo que o principal impacto veio da indústria de máquinas e equipamentos (-28%).
A categoria de veículos automotores teve a produção reduzida em 17,6% frente a maior de 2008.
Entre as categorias de uso, o pior resultado em relação a maio do ano passado foi constatado na produção de bens de capital (-22,8%).
Já a produção de bens duráveis caiu 13,7%, pouco menos que o visto na produção de bens intermediários, que teve recuo de 13,8%.
A produção de bens de consumo semi e não duráveis, por sua vez, teve uma queda mais branda, de 1,8%, contra maio de 2008.

Publicação JC

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

 

Construtora lança novo bairro planejado - 03/07/2009

 

 

 



Seguindo uma tendência mundial que vem ganhando cada vez mais espaço em países da Europa e da América Latina, a Direcional Engenharia e a CivilCorp lançam neste sábado 4, o Total Ville, o primeiro bairro completamente planejado de Manaus

Por Redação JC

Seguindo uma tendência mundial que vem ganhando cada vez mais espaço em países da Europa e da América Latina, a Direcional Engenharia e a CivilCorp lançam neste sábado 4, o Total Ville, o primeiro bairro completamente planejado de Manaus. Localizado em Santa Etelvina (avenida Torquato Tapajós, zona norte da capital), o empreendimento traz um novo conceito de moradia para o Amazonas, com uma proposta de construir um bairro planejado, com todas as condições que facilitem a vida dos moradores.
Durante todo o sábado, no estande de vendas, no próprio empreendimento, haverá um evento de lançamento em que os clientes poderão conferir detalhes do produto através de maquete e apartamentos decorados. No evento, os clientes poderão ainda gravar um vídeo e participar de uma promoção da Direcional que vai premiar a melhor mensagem com nada menos que um apartamento do empreendimento. Também neste sábado, a empresa já apresenta o segundo condomínio Total Ville a ser lançado.
O novo empreendimento integra o programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, por meio do qual os imóveis do empreendimento poderão ser financiados em até 100% pela Caixa Econômica Federal, sendo que os clientes podem ter um desconto médio de R$ 17 mil.
O conceito Total Ville é uma criação da Direcional Enge­nharia que reforça a sua linha de produtos e determina um perfil de residencial que tem as dimensões de um bairro. “Nele, estarão distribuídos apartamentos, além de postos de saúde, escolas, creches, centros comerciais, área de lazer completa, área verde preservada e guarita de segurança”, explicou o ge­rente comercial da Direcional, Guilherme Diamante. Em uma área de 860 mil metros quadrados, o bairro planejado terá 3.600 unidades e a previsão de entrega da 1ª etapa é para julho de 2011. Segundo Diamante, o Valor Geral de Vendas do empreendimento gira em torno de R$ 450 milhões.
O Total Ville vai disponibilizar apartamentos de dois quartos e de três quartos com suíte, com valor a partir de R$ 85.600 e parcelas a partir de R$ 250 mensais. Dos oito condomínios, um já foi completamente vendido, na fase de pré-lançamento.
Na primeira etapa são 16 torres, com 512 unidades. A segunda etapa vai contar com 14 torres e 448 unidades, cerca de 100 delas já vendidas. “Cremos que até este sábado, 50% destas unidades tenham sido comercializadas”, estimou o gerente. Segundo ele, as oito etapas do Total Ville devem ser completamente comercializadas em apenas um ano.
Para Diamante, gerar demandas em áreas fora dos centros urbanos e criar um novo bairro são a nova aposta das incorporadoras atentas ao filão dos bairros planejados. “Este modelo oferece não só excelentes condições de moradia e lazer, mas que tenham em suas instalações espaços que facilitem a vida dos moradores quando se trata de saúde e educação, por exemplo. Os bairros planejados possuem os recursos suficientes para que os moradores não precisem percorrer grandes distâncias para usufruir destes serviços”, afirmou.
A Direcional lançou o projeto Total Ville, no dia 20 de junho, em Belém (PA), com o empreendimento Bella Cittá. Nos próximos dias, Marabá (PA) também receberá o projeto. Em cerca de 10 dias de lançamento, 349 das 596 unidades do Total Ville Bella Citá já haviam sido vendidas. A empresa se prepara para implantar o projeto em Brasília e Porto Velho.

Promoção de lançamento

A Direcional Engenharia lança no mesmo dia a promoção “Quer ganhar um Total Ville?”. Para concorrer, os participantes devem gravar um vídeo (a produção pode ser feita de uma câmera caseira ou de celular) respondendo a pergunta “Por que só no Total Ville você vive a vida por inteiro?”. Depois basta fazer postar o vídeo no site www.totalville.com.br e pedir votos para os amigos. O vídeo mais votado será o ganhador de um apartamento. “Por isso vale a pena contar com a ajuda dos amigos na votação”, reforçou Guilherme Diamante. Outra opção é gravar o vídeo no estande do empreendimento, neste sábado.

Publicação JC

 

 

 

Início

 

 

JORNAL DIÁRIO DO AMAZONAS

 

 

Economia

 

 

Crise afeta mais a indústria

 

 

 

Início

 

 

Anatel  aperta fiscalização nas operadoras de telefonia

 

 

 

 

 

 

Início

 

 

 

Maioria ganha dois salários no AM

 

 

 

Início

 

 

Imposto para veículo novo é questionado

 

 

 

Início

 

 

Governo federal vai incentivar a aviação regional

 

 

 

 

Início

 

 

 

Cidades

 

Manaus tem a 2ª pior rede de esgoto

 

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

ABRIL.COM

 

 

 

Negócios sustentáveis

 

 

 

O surgimento de um novo modelo econômico, com base na crescente consciência da sociedade em relação às questões ambientais, demanda novas oportunidades de mercado.

"A temática do aquecimento global é o foco atual da economia e quem investir nesse segmento pode se dar bem", de acordo com o professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP (FEA) e articulista do jornal Valor Econômico, José Eli da Veiga, um dos palestrantes do seminário da Febraban, realizado terça-feira (30), em São Paulo. Mas, para ele, apesar dos incentivos gerados pelo Protocolo de Kioto e dos negócios sustentáveis, principalmente através dos Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL), ainda muito pouco se faz em relação a diminuição de lançamentos de gases efeito estufa.

Citando pesquisa divulgada pela Scientific American Brasil, Veiga observa que quase dois terços dos projetos aprovados de MDL não contribuem em nada para a mitigação. "E como podemos exigir que uma instituição financeira possa julgar isso?", questionou. (Agência Envolverde)

 

 

 

 

Início

 

 

 

ESTADAO

 

 

 

Usina de Jirau assina contrato de R$ 7,2 bi com BNDES

 

LEONARDO GOY - Agencia Estado

BRASÍLIA - A empresa Energia Sustentável do Brasil (ESBR), responsável pela construção da hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira (RO), informou que assinou ontem com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contrato de financiamento de R$ 7,2 bilhões para a construção da hidrelétrica de 3.450 megawatts (MW). Segundo a concessionária, deste total, R$ 3,5 bilhões serão repassados por agentes financeiros credenciados: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú BBA, e Banco do Nordeste do Brasil.



De acordo com os empreendedores de Jirau, essa é a maior linha de financiamento dada a uma empresa pelo BNDES. O montante representa 68,5% dos recursos totais da obra. O restante será aplicado diretamente pelos sócios da ESBR, que são a Suez, a Camargo Correa, a Chesf e Eletrosul. O dinheiro será liberado de acordo com o cronograma da obra. Desde o início das obras, a ESBR já investiu cerca de R$ 700 milhões no empreendimento. O prazo máximo de amortização do financiamento é de 20 anos. O prazo total, incluindo o período de carência, é de 25 anos.

 

 

 

Início

 

 

 

 

MEIO FILTRANTE

 

 

AMBIENTAL EXPO atinge expectativas e anuncia data da próxima edição

 

 

 

Expositores satisfeitos com a qualificação do público visitante e com as boas expectativas de negócios; 2ª edição será de 8 a 10 de junho de 2010; Feira tende a tornar-se fórum latino-americano de debate da nova economia

Terminou ontem, 2 de julho, a primeira edição da AMBIENTAL EXPO (Feira Internacional de Soluções para Saneamento e Meio Ambiente), evento que mostrou-se um excelente espaço para a interação entre as empresas públicas e privadas que atuam nesse setor e que trabalham para desenvolver e impulsionar a nova economia no País, focada em práticas e soluções ambientais e o desenvolvimento sustentável. De acordo com um levantamento feito pela ABDIB (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base), o setor deve re ceber investimentos da ordem de R$ 21,5 bilhões ao ano, nos próximos 10 anos, o que irá contribuir para que as próximas edições da Feira tenham novas participações e ainda mais representatividade junto ao mercado - seja na realização de negócios ou na troca de experiências como fórum de discussão.

Realizada e organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, de 30 de junho a 2 de julho, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, em parceria com a ABDIB, a Feira reuniu 100 marcas do Brasil, França, Itália, Alemanha e China, em uma área total de 6 mil metros quadrados. "Atingimos nossa expectativa ao recebermos 5.363 mil visitantes", comenta Daniel Zanetti, Show Manager do evento. "Nossos expositores ficaram bastante satisfeitos com a qualificação do público visitante e com as expectativas de negócios futuros. Creio que demos um grande passo ao entregar ao mercado um evento comprometido com a nova economia e com o futuro d o planeta", acrescenta Eduardo Sanovicz, Diretor da promotora.

Com o objetivo de ser o evento mais representativo e abrangente no Brasil, a AMBIENTAL EXPO - versão latino-americana da POLLUTEC, maior evento sobre meio ambiente no mundo -, apresentou sistemas, soluções, inovações e tendências para prevenção, tratamento e correção de impactos ambientais nas áreas de AR, SANEAMENTO, SOLO, RUÍDO, RESÍDUO e ENERGIA.

Dentre as novidades mostradas pelos expositores destacam-se equipamentos destinados para a resolução de contaminação de águas subterrâneas, poluição do ar, tratamento de efluentes, detecção de gases, sistemas de amostragem, monitoramento climático; produtos gerados através da reciclagem dos resíduos da construção civil e demolição; serviços relacionados à gestão energética e operação de infraestrutura para diferentes segmentos; equipamentos para aspiração e retenção de poluentes atmosféricos; equipamentos de iluminação por LED´s para ilumin ação pública, interna, externa e de segurança; cabine acústica para reduzir o índice de ruídos dos equipamentos eletromecânicos; implantação e operação de sistemas, soluções de tratamento e reuso de água; prensas enfardadeiras, talhas automatizadas, cilindros hidráulicos e unidades hidráulicas; soluções para o uso racional da água e o descarte de lâmpadas fluorescentes; comunicação via GPRS, que tem como diferencial o cuidado com a segurança durante a transmissão, preservando a informação do cliente; estações de tratamento de efluentes (ETEs), filtros-prensa com placas de polipropileno e os separadores de óleo; tratamento de resíduos perigosos; produtos químicos ecológicos, como solventes, tintas, colas, desengripantes e lubrificantes.

A próxima edição da Feira, que continua no Anhembi, já tem data marcada: 8 a 10 de junho de 2010.

CONGRESSO AMBIENTAL EXPO
Simultaneamente à AMBIENTAL EXPO aconteceu o CONGRESSO AMBIENTAL EXPO 2009, com a realização de mais de 50 palestras ministradas por especialistas nacionais e internacionais. Foram aproximadamente 480 congressistas, que se dividiram ao longo dos três dias para acompanhar os temas abordados, tais como "Os 5 Pilares da Solução para os Serviços Públicos", "Mudanças Climáticas - oportunidades e desafios", "A iniciativa de São Paulo na redução da emissão de gases veiculares", "Tecnologias Emergentes", "Gestão de Saneamento", além dos Painéis sobre Resíduos, Ar e Energia Sustentável.

Um dos destaques foi a "Jornada Brasil-França de Qualidade do Ar", uma parceria entre a promotora e a Missão Econômica de São Paulo-Ubifrance, como parte das comemorações do ano da França no Brasil. Durante o evento, os palestrantes fizeram uma abordagem entre as soluções empregada s naquele país e no Brasil.

Resultados do Programa de Gestão Socioambiental / Evento Responsável da AMBIENTAL EXPO

Para a AMBIENTAL EXPO 2009, a Reed Exhibitions Alcantara Machado e a Reclicagem Gestão e Marketing Ambiental firmaram uma parceria, com o objetivo de promover a sustentabilidade do evento, por meio do Programa de Gestão Socioambiental / Evento Responsável. Para isso, durante o evento, algumas medidas socioambientais foram colocadas em prática, como a neutralização do CO2 gerado no evento, por meio do plantio de árvores; a distribuição de coletores feitos com material reaproveitado de embalagens de creme dental, com a indicação “recicláveis” e “não-recicláveis”, identificados respectivamente por sacos azuis e pretos; o treinamento e orientação sobre ações sustentáveis com todas as pessoas envolvidas no evento e a orientação sobre o uso racional da água e energia.

Como resultado dessa ação, todos os estandes com bu ffet foram visitados e informados por auditores da Reclicagem sobre o programa de coleta seletiva adotada pela Feira. Também foram iniciadas pesquisas do Inventário das emissões de carbono, para o cálculo final da neutralização deste. "Com a adoção de práticas mais sustentáveis, a AMBIENTAL EXPO 2009 destinou 70% dos resíduos gerados para reciclagem", informou Eduardo Sanovicz, Diretor de Feiras da Reed Exhibitions Alcantara Machado. Além disso, os expositores entregaram poucos informativos impressos, contribuindo para a geração de uma menor quantidade de resíduos; 75% dos estandes utilizaram lâmpadas mais econômicas; e 80% dos estandes se preocuparam em utilizar materiais construtivos, que gerassem menos resíduos na sua montagem.

Vale ressaltar que a ONG Ipesa está trabalhando com a Reclicagem na triagem dos resíduos e que o material reciclável está sendo doado para a CRIS (Cooperativa de Reciclagem de Itapecerica da Serra).

DEPOIMENTOS

"O investimento e a tecnologia, sustentados por boas políticas públicas, são as formas mais eficientes para trilharmos o caminho do desenvolvimento sustentável, aliando negócios, investimentos, distribuição de renda e conservação dos recursos naturais. Cresce entre as empresas e as lideranças empresariais o sentimento de que a sustentabilidade econômica e ambiental é um fator imprescindível para o planejamento estratégico das companhias. Por isso, ações e políticas estão sendo adotadas, com estipulação de metas e mensuração de resultados, para perseguir a governança ambiental, com ações para eficiência energética, reuso de água, tratamento de efluentes, controle de emissões e outras ações mais. Acredito que, do outro lado, os órgãos ambientais e instituições públicas também precisam ampliar o escopo de atuação e buscar não somente a preservação a qualquer custo, mas sobretudo a conservação dos recursos naturais. Para isso, investimento é fundament al. Acredito que um dos grandes benefícios da AMBIENTAL EXPO é abrir um fórum, um espaço permanente para a interação entre empresas que investem, que desenvolvem tecnologia, que têm métodos e sistemas de gestão, para ajudar a desenvolver e impulsionar a chamada economia verde no Brasil. Um levantamento realizado pela ABDIB exclusivamente para a AMBIENTAL EXPO detectou que há uma perspectiva de negócios e investimentos de R$ 21 bilhões por ano, ao longo dos próximos dez anos, nos mercados de saneamento básico, energias alternativas e gestão de resíduos. Trata-se de uma estimativa conservadora, é claro, porque o desenvolvimento sustentável vai impulsionar negócios, tecnologia, investimentos e gestão em diversas áreas. Eu tenho a convicção que há uma tendência de crescimento vertiginoso para a chamada economia verde no Brasil. Temos um potencial energético por fontes renováveis fabuloso. Temos um extenso caminho para atingir a universalização no saneamento ,que exigirá muitos i nvestimentos, tecnologia e gestão. Temos um campo de atuação esplêndido para oferecer e incorporar soluções ambientais dentro das instalações industriais, tornando-as mais eficientes e produtivas. Esse potencial é promissor e comprova que a AMBIENTAL EXPO terá um papel cada vez mais importante para ajudar a solidificar todas essas perspectivas." - Paulo Godoy, Presidente da ABDIB.

"O saneamento básico costuma ser considerado o primo pobre da infraestrutura, em virtude da precariedade no atendimento, do alto volume de perdas de água, da poluição dos rios e mananciais e do volume insuficiente de recursos aplicados anualmente. Felizmente, me parece que estamos vivendo um momento histórico de virada no setor, com novas tecnologias sendo discutidas e aplicadas, com mais investimentos sendo realizados, com novos instrumentos financeiros sendo criados para impulsionar os negócios, e, sobretudo, com mais disposição e com atuação mas incisiva das autoridades públ icas para criar uma plataforma sustentável para o desenvolvimento do setor. Acho que já houve, nos últimos anos, uma tomada de consciência dentro do setor, onde as entidades empresariais passaram a trabalhar em torno dos pontos de concordância, naquilo que consideram essencial, colaborando para que as autoridades políticas recebam uma diretriz clara do que é importante para o setor. Há maior maturidade e as oportunidades de negócios crescem. Há regulação suficiente para impulsionar os investimentos e negócios e as linhas e instrumentos de financiamento  à disposição já contribuem para a retomada da expansão do atendimento. Acredito que temos de aproveitar esse momento e solidificar as estratégias e diretrizes para impulsionar o desenvolvimento do saneamento ambiental no Brasil, incluindo os setores de água, esgoto e gestão. A presença do deputado Arnaldo Jardim na AMBIENTAL EXPO 2009 mostra que há uma disposição inequívoca do Congresso Nacional em fazer avançar a políti ca nacional de resíduos sólidos, que tramita no Legislativo desde 1991. A AMBIENTAL EXPO foi espaço importante para criar essa rede de conhecimento e articulação em torno de soluções para negócios e investimentos em saneamento e em meio ambiente. Tanto o congresso quanto a feira contribuem para reunirmos, em um mesmo espaço, de rica interação, os fabricantes de equipamentos, fornecedores de bens e serviços, investidores, autoridades públicas e lideranças empresariais. Tenho ótima perspectiva a respeito da contribuição que a AMBIENTAL EXPO dará para o desenvolvimento desses mercados e dessas soluções no Brasil." - Newton Azevedo, vice-presidente da ABDIB.

"A SABESP é um dos apoiadores da AMBIENTAL EXPO. Ficamos muito contentes com a primeira edição do evento, que tem a credibilidade da Pollutec, maior feira do setor de saneamento e meio ambiente, e foi um sucesso. Portanto, a SABESP, como maior empresa de saneamento do País, não poderia ficar fora de uma Feira que atende tanto o segmento tradicional de saneamento como os alternativos. Com a participação na AMBIENTAL agregamos nossa imagem e valores junto aos clientes". Marcelo Salles - Diretor de Tecnologia, Empreendimento e Meio Ambiente.

"Uma delegação de 22 empresas francesas do setor de meio ambiente e dois organismos públicos do governo francês, o MEEDDAT e a ADEME, marcaram presença no estande ESPAÇO FRANÇA, organizado pela Missão Econômica de São Paulo / Ubifrance. A participação delas foi um sucesso, principalmente nas Rodadas de Negócios, que consistiram em 260 reuniões com cerca de 100 potenciais clientes brasileiros. O feedback que seus representantes nos passaram foi o de uma visitação focada em um público qualificado. Além disso, o Brasil tem muita relevância para a economia francesa: é o primeiro parceiro comercial da França na América Latina, o sétimo fornecedor francês e a França é o seu 14° cliente; existem 420 filiais de capital francês presentes no País; das 40 maiores companhias francesas, 35 estão no Brasil; mais de 4 mil empresas negociam com parceiros comerciais brasileiros e os investimentos franceses no território nacional totalizam aproximadamente US$ 15 bilhões. Diante disso, a UBIFRANCE já efetuou a proposta ao governo francês de participação na segunda edição da Feira". Sérgio Costa - Adido Comercial da Missão Econômica de São Paulo / UBIFRANCE.

A VICTORIA, que estreou no mercado recentemente - resultado da junção das operações de duas empresas tradicionais do setor: MFS e Flux - avalia a AMBIENTAL EXPO como muito positiva na medida em que lançou luz sobre esse importante segmento do mercado. "A participação de grandes nomes da indústria, tanto expondo quanto visitando, é um marco importante para a primeira edição do evento", analisam Marco Minerbo e Fernando Correa, sócios-diretores da empresa. " Estamos bastante satisfeitos com a participação na Feira, pela oportunidade de mostrarmos nosso trabalho a um grande número de empresas. Acreditamos muito no potencial do mercado no Brasil porque as empresas já enxergam o uso racional da água como um diferencial e uma ferramenta importante dentro da própria operação&q uot;, completam os executivos.

Participando pela primeira vez de um evento desse porte, a RINEN expôs produtos biológicos para degradação de matéria orgânica e redução de odores. "O evento estava muito bem estruturado, com um público visitante realmente interessado nos projetos apresentados pelas empresas. Na minha opinião, a participação da França foi positiva, trazendo novas possibilidades de negócios e parcerias", observa Alexandre Valverde, Gerente Comercial. "O profissionalismo e a prontidão dos organizadores da Feira fizeram muita diferença, tornando tudo mais tranquilo para os expositores", finaliza.

A CEMARA PRÓ-AMBIENTAL, que atua no tratamento e processamento de resíduos sólidos das construções civil, afirma que a Feira foi positiva do ponto de vista de exposição da empresa para o mercado. ”Tivemos uma visitação intensa em nosso estande. Acreditamos que os contatos técnicos ocorridos durante o evento trarão oportunidades a longo prazo. Um dos nossos objetivos, que era a exposição do negócio, foi plenamente atendido pela atratividade criada pelo nosso produto", explica Wellington Carrenho, Diretor Executivo.

Com foco na criação e implementação de programas de desenvolvimento sustentável sob medida para seus parceiros (empresas privadas e órgãos públicos), a francesa ECOACT, que está ampliando suas operações no Brasil, avalia o evento como uma ótima oportunidade de contato com clientes. Segundo a empresa, foram realizadas muitas consultas e conversas que, com certeza, irão gerar negócios durante o ano. "Nossa participação foi muito gratificante. Pudemos ter contato direto com novos clientes e ampliar nossa rede de contatos. Participar como palestrante do CONGRESSO AMBIENTAL EXPO também teve um significado especial, pois pude explicar melhor quais critérios devem ser adotados por empresas que querem compensar suas emissões de gases de efeito estufa (que provocam o aquecimento global). Depois da palestra, recebemos vários visitantes em nosso estande interessados em saber mais a respeito de créditos de carbono e programas de compensação de emissão de gases de efeito estufa. Ficamos felizes em participar da primeira feira ambiental brasileira que, a exemplo do que acontece com a Pollutec, deve se transformar num dos maiores eventos da área", acrescenta Freitas.

Para Josy Santana, Diretora Administrativa e Econômica da ACÚSTICA AMBIENTAL, a Feira superou as expectativas. "Os visitantes ficaram muito felizes em encontrar uma empresa que cuida da questão da poluição sonora. Em termos de quantidade, está sendo excelente, pois somente na quarta-feira recebi cerca de 700 pessoas no meu estande. Pretendemos voltar para a segunda edição da Feira, uma vez que acreditamos que teremos mais visitantes, que a feira será maior e mais abrangente, com mais diversificação de produtos oferecidos para a área ambiental”. A empresa trouxe para a Fe ira a cabine acústica que proporciona o isolamento para qualquer máquina industrial, cuja emissão de ruídos esteja acima do permitido pela legislação ambiental, e o silenciador hospitalar, que retém o ruído de geradores a diesel.

A CLARUS TECHNOLOGY, que trabalha com produtos ecologicamente corretos, com laudos de certificação, aproveitou o espaço na AMBIENTAL EXPO para apresentar ao mercado o Clarus Broken QE-01, um quebrador de emulsão, que separa o óleo da água do composto e contribui com a não poluição do meio ambiente. "Nossas perspectivas de negócios dificilmente são imediatas, mas aqui na Feira temos a oportunidade de o cliente do Brasil inteiro nos visitar, nos conhecer, já que somos uma empresa do interior do Estado de São Paulo. Por estar presente na Feira, a logística fica mais fácil. Fechamos negócios com o nosso público, aqui nesses dias, e também divulgamos nossa empresa para quem não nos conhecia", comentou o Diretor Técnico Kléber Marque s.

Já a HEXA, especializada em iluminação LED, lançou na Feira uma luminária de um bloco LED com 35 watts de potência, capaz de gerar uma economia de 70% no uso de energia em relação aos meios tradicionais de iluminação, e com uma vida útil de quatro a cinco vezes superior a uma lâmpada comum, com a vantagem de não emitir radiação ultravioleta. "Não imaginávamos que a Feira seria tão boa, com uma visitação acima do esperado. Nosso foco eram as prefeituras e acabei realizando negócios também com empresas privadas. Além disso, encontramos parceiros de negócios entre os próprios expositores, como negociadores de crédito de carbono, uma empresa de descarte de lâmpadas e outra no segmento de energia", comemora Fernando Almeida, Sócio-Diretor da empresa.

A EUROAIR BRASIL, que trabalha com projetos sob medida para a despoluição do ar, trouxe para a Feira o Filtro a Cartuchos para Processos de Solda, Corte a Laser e Plasma, que retém a poluição gerada em determinados processos. "Com a AMBIENTAL EXPO estamos tendo a oportunidade de estabelecer vários contatos com potenciais clientes, que estão com problemas e querem projetos para resolvê-los. São grandes as expectativas de negócios gerados aqui na Feira, já que a visitação é extremamente técnica, os compradores são da área ambiental e há muitos diretores de empresas que decidem e querem encontrar uma solução para o seu problema conosco",  relata Remo Camarotto, Diretor da empresa no Brasil.

A Mizumo está com ótimas perspectivas de negócios. "A visitação foi muito boa, o público é qualificado e focado, com poder de decisão. A proposta da AMBIENTAL EXPO é muito interessante e estamos apostando nela, tanto que vamos voltar na próxima edição", diz Giovani Toledo, Gestor da Unidade de Negócios Mizumo, do Grupo Jacto.

Com boas perspectivas de negócios ao longo do ano, a EPLAN lançou durante a AMBIENTAL EXPO uma solução de monitoram ento remoto da estação de tratamento de água da cidade de Palestina (SP), em parceria com a empresa CAB Ambiental. A avaliação do evento por parte da empresa foi boa, principalmente por ser a primeira edição e acontecer num ano sob condições adversas do mercado. "O público mostrou-se de bom nível e qualificado para os negócios. Sem dúvida foi uma excelente oportunidade para demonstrarmos nossas soluções voltadas para o monitoramento de processos, gestão de infraestrutura e otimização no uso de recursos. Os contatos de alto nível estabelecidos durante o evento indicam uma grande possibilidade de novos negócios, que devem garantir o retorno sobre este investimento", acrescenta Nagib Mattara Filho, Gerente de Marketing.

APOIOS

A AMBIENTAL EXPO 2009 teve o apoio institucional da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Secretaria Nacional de Saneamento e ADEME (Agence de Environnement et de la Maîtrise de l Energie). Também apóiam o evento: ABCE (Associação Brasileira das Concessionárias de energia Elétrica), ABCON (Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Público de Água e Esgoto), ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), AESBE (Associação das Empresas de Saneamento Básico Estaduais), ASFAMAS (Associação Brasileira dos Fabricantes de Materiais e Equipamentos para Saneamento Edificações Energia e Irrigação), ABCE (Associação Brasileira de Consultores de Engenharia), CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), CNI (Confederação Nacional da Indústria), FNP (Frente Nacional de Prefeitos), SELURB (Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana) e SINAENCO (Sindicato da Arquitetura e da Engenharias).

 

 

 

Início

 

 

 

 

G1

 

 

 

 

SP tem a segunda melhor rede de esgoto das cidades sede da Copa de 2014

 

 

88,52% da cidade teria esgoto, segundo estudo da FGV e de instituto.
Quatro das cinco cidades com melhor saneamento também estão em SP.

Patrícia Araújo Do G1, em São Paulo

Foto: Patrícia Araújo/G1 

O presidente do Instituto Trata Brasil, Raul Pinho, e o professor da FGV Marcelo Neri (da esq. para a dir.)(Foto: Patrícia Araújo/G1)

A capital paulista conta com  a segunda maior rede de coleta de esgoto entre as 12 capitais que irão sediar a Copa do Mundo de 2014. Segundo estudo feito pelo InstitutoTrata Brasil e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgado na manhã desta quinta-feira (2), 88,52% da população do município de São Paulo dizem ter acesso à rede de esgoto. A informação foi retirada da base de dados da Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar (PNAD) de 2007, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A cidade ficou atrás apenas de Belo Horizonte (MG), que registrou índice de 97,05% em 2007. Após São Paulo, a capital que ficou em terceiro lugar foi Salvador, com 87,77%; Rio de Janeiro, com 83,73%; Brasília,com 80,17%; Curitiba, com 79,37%; Fortaleza, com 54,62%; Porto Alegre, com 49,29%; Recife, com 47,12%; Cuiabá, com 41,21%; Manaus, com 34,98%; e Natal, com 21,26%. 

 

 

Como os índices do estudo levaram em consideração o PNAD, os percentuais representam a percepção da população sobre seu acesso à coleta de esgoto. De acordo com os responsáveis pelo estudo divulgado nesta quinta, os índices reais de atendimento de esgoto nesses locais podem divergir um pouco daquele do PNAD, mas não modificam a posição das cidades no ranking.

 

“As companhias [de saneamento] de Manaus dizem que 11% do esgoto é coletado. No estudo do PNAD, Manaus aparece com 34,98 %, mas nos dois casos Manaus permanece na 11ª posição no ranking“, disse Raul Pinho, presidente do Instituto Trata Brasil, que

 

 

afirmou ainda que a variação desses percentuais pode ser menor do que a existente em Manaus. No caso de São Paulo, segundo ele, o percentual informado pelas companhias de saneamento seria de 85%. 

De acordo com o chefe do Centro de Políticas Sociais da FGV, Marcelo Neri, o motivo que levou Belo Horizonte e São Paulo a ficarem no topo da lista de coleta de esgoto está muito mais relacionado à gestão do que a recursos. “Não é só dinheiro. Dinheiro é importante, mas fundamentalmente é gestão e, para isso, a população tem que estar conscientizada. Tem que perceber que a falta de saneamento não é só o cheiro que as câmeras de TV não pegam, que não é aquela coceirinha, mas é doença”, afirmou.

Raul Pinho vê a Copa como possibilidade de geração de investimentos em saneamento no país. “Levantamento rápido em cima das cidades sede da Copa [de 2014] mostra que investimentos da ordem de R$ 7 bilhões seriam suficientes para sanar o problema do saneamento nessas cidades. Cerca de R$ 100 bilhões serão gastos com a Copa no país. Seriam apenas 7% desse total”, afirmou Pinho, acrescentando que o saneamento no Brasil precisa de R$ 270 bilhões para cobrir seu déficit.

Outras pesquisas do IBGE fora o PNAD também foram usadas e, além dos dados do instituto, o estudo feito em parceria com a FGV também levou em consideração dados do Ministério da Saúde. 

 

Melhores cidades em SP

O estudo divulgado nesta quinta-feira abrangeu não só as cidades que serão sede da Copa de 2014, mas um total de 79 municípios do país com mais de 300 mil habitantes. Nessa lista, das cinco cidades com melhores condições de saneamento no Brasil, quatro ficam no estado de São Paulo. Seriam elas: Franca, em primeiro lugar; Sorocaba, em terceiro lugar; Santos, em quarto lugar; e Jundiaí, em quinto lugar. A única das cinco cidades que não está no estado de São Paulo é Uberlândia (MG), em segundo lugar na lista.

 

A cidade em pior situação de esgoto no estado é Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo, que está na 60ª posição no ranking dos 79 municípios. O índice é baseado num conjunto de indicadores bem mais amplo que a coleta de esgoto, levando em consideração fatores como atendimento total de esgoto, esgoto tratado por água consumida, volume produzido de água e total de investimentos.

 

Por este ranking, a capital paulista aparece na 21ª posição, atrás ainda de outras cinco cidades do estado. No final da lista aparece a cidade fluminense de São Gonçalo, com graves problemas de saneamento, na definição dos divulgadores do estudo.

Segundo Neri, apesar dos bons índices de coleta e tratamento de esgoto em algumas cidades do país, ainda é muito grande o déficit nacional na área. Atualmente, 49,44% da população brasileira possui rede de esgoto, contra 81,11% de água encanada, 86,79% de lixo coletado, 98,18% de fornecimento de energia e 95,03% de acesso a banheiro.

O estudo aponta os reflexos na saúde da ausência de esgoto entre a população. Segundo o professor da Fundação Getúlio Vargas, 12% é o aumento na chance de quem não tem esgoto em casa ter faltado o trabalho nos últimos 15 dias. Além disso, a ausência de esgoto faz crescer em 22% o risco de crianças morrerem antes de completar seis anos. Pessoas sem rede de esgoto têm ainda cerca de 2 centímetros de estatura a menos que pessoas que têm acesso a esgoto.

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

 

PB AGORA

 

 

 

 

Multifeira espera atrair 140 mil visitantes em 10 dias

Começa nesta sexta-feira (03/07), às 17h00, o maior evento multisetorial do Norte e Nordeste. A Brasil Mostra Brasil 2009 espera atrair 140 mil visitantes até o dia 13 de julho no Espaço Cultural numa verdadeira festa que vai contar com premiações especiais esse ano: um caminhão de prêmios e quatro motos Dafra.

Responsável pelo aquecimento da economia local, geração de impostos e mais de mil empregos diretos, a Multifeira Brasil Mostra Brasil tem 15 anos de história para comemorar nesta que promete ser uma edição histórica do evento. “Somos fortes e fazemos sucesso porque o público e parceiros de valor nos apóiam, acreditam na seriedade do que fazemos”, destaca o Diretor Geral da BMB, Wilson Martinez.

As parcerias a que ele se refere são do Governo do Estado, prefeitura Municipal de João Pessoa, CDL, Associação Comercial, Sebrae, Fecomércio e os órgãos de comunicação do Estado. “A Brasil Mostra Brasil sabe como retribuir tanta receptividade: projetando cada vez mais a Paraíba dentro e fora do país”, garante Martinez.

Wilson lembra da infinidade de negócios gerados a partir dos lançamentos de produtos no evento e, principalmente, da divulgação do Estado gerada a partir da realização do Salão do Artesanato Internacional. Esse ano, caravanas de mais de 22 países vão marcar presença com destaque para a diversidade dos produtos vindos do Marrocos e da África do Sul, país sede Copa do Mundo 2010.

Para marcar os 15 anos, os visitantes que comprarem ingressos vão receber cupons para participar do sorteio de um caminhão de prêmios e quatro motos Dafra. Os veículos serão sorteados em dias alternados durante o evento. Numa parceria com o Atacadão dos Eletros, o caminhão tem praticamente uma casa nova como ‘recheio’, com dois dormitórios completos (casal e solteiro), jogo de jantar, sala de estar, cozinha, além de todos os aparelhos eletrodomésticos e eletroportáteis, como fogão, geladeira duplex, máquina de lavar, TV LCD, som, DVD, liquidificador, entre outros.

De uma maneira geral, todos os visitantes vão receber selos com numerações e, quem encontrar o seu par, através de um selo de número idêntico, ganhará kits personalizados da Multifeira. “Temos mais de mil Kits para premiar”, revela o Diretor Geral.

A variedade é mesmo uma característica do evento que traz um mix de produtos, serviços e atrações para a BMB. Moda, bijuterias, móveis, eletros, artesanato, utilidades domésticas, atrações artísticas, lançamentos e divulgação de serviços em diversas áreas. Esse ano, um dos lançamentos será a armadilha luminosa para insetos voadores, que emite uma luz ultravioleta para atrair voadores fotossensíveis como moscas, varejeiras, abelhas e mariposas.

Ação Social – Novamente, a Multifeira Brasil Mostra Brasil vai criar a oportunidade para a doação de alimentos a instituições filantrópicas locais. É que está mantida a campanha do primeiro dia, quando os visitantes podem entrar com um quilo de alimento não perecível. “É importante trazer de casa, descartando o sal e a massa para cuscuz para que haja variedade nas cestas básicas doadas instituições que sobrevivem de doações como essa”, ressalta Martinez, lembrando que 11 delas receberam alimentos em 2008.



RESTROSPECTIVA:


1995 – Começa a Brasil Mostra Brasil em João Pessoa, com 2000m2 trazendo o Mundo de Manaus, um projeto em que os produtores traziam produtos fabricados na zona franca e com os mesmos preços comercializados em Manaus.


1996 – O Mundo de Manaus volta a Multifeira lançando diversos produtos ainda inexistentes na Paraíba em calçados, eletroeletrônicos, além das ânforas Chinesas da Dinastia Ming.


1997 – I Salão dos Automóveis, que permitiu lançamento de veículos de diversas concessionárias; lançamento do Gás Natural Veicular; as ‘loucuras’ do Salão dos Inventores; o início de dois projetos esportivos que permaneceram no evento até 2002: o Meeting de Aeróbica e Dança e a Copa de Karatê e ainda o I Shopping da Informática;


1998 – A Feira abre espaço para o Construshow reunindo diversos expositores do segmento da construção civil e lança também o projeto ‘O Mundo é das Crianças’ que em parecria com a secretaria de educação levou um circo para área externa do estacionamento e ocupou o teatro de Arena com atividades para estudantes.


1999 – O turismo de aventura invade a Multifeira com a demonstração da prática do Rapel. Ano em que o Salão de Veículos é consolidado a partir de dois lançamentos: os Iates vindos do Paraná e o lançamento mundial de um caminhão de marca internacional. Foi feito direto da Europa com transmissão simultânea via Internet e, por vários dias, o veiculo ficou coberto com lona preta até o momento do evento.


2000 – Realização do I torneio de Surf Mecânico com o apoio da Federação Paraibana de Surf; último ano do Shopping da Informática e lançamento de um produto de virou febre entre as donas de casa: um prato de bolo anti-formiga;


2001 – Salão de Veículo lança carro com tecnologia híbrida (bateria elétrica e gasolina); Houve ainda lançamento de produtos como o filtro que corrige oscilação de energia elétrica e do aparelho que consegue retirar ar do encanamento reduzindo o consumo de água.


2002 – Presença de 50 artesãos do Rio Grande do Norte expondo e promovendo oficinas. Produtos de movelaria da Bahia em pedra e vidro chamaram a atenção de pelo trabalho semi- artesanal tipo exportação.


2003 – Brasil Mostra Brasil traz o carro de Fórmula 1, avaliado em mais de R$ 1 milhão, modelo pilotado pelo brasileiro Cristiano da Mata; imobiliárias expõem lançamentos com preços promocionais planejados para o evento no I Salão de Imóveis. A moda Goiana e artesanato pantaneiro se fizeram presentes. Parte da arrecadação de alimentos na feira vai para o programa Fome Zero.


2004 – Visita marcante de Mirella Santos, na época Playmate e Miss Playboy TV Brasil; Veículos antigos e feira de antiguidades marcam presença nos 10 anos da BMB; São apresentadas as famosas panelas de titânio; BMB destina patê da doação de alimentos aos desabrigados de Alagoa Grande e Mulungú, vítimas da tragédia de Camará.


2005 – Multifeira sorteia um Carro 0km entre os visitantes e apresenta equipamento que adapta motor de carros à tecnologia Flex; Sex shop participa pela primeira vez do evento; Zenitran Montagens é criada na Paraíba e estréia deixando BMB pronta cinco dias antes da abertura do evento.


2006 - Exército Brasileiro participa pela primeira vez da BMB; Confraria das Amigas do Vinho monta espaço inesquecível para degustação da bebida; Multifeira recebe a visita dos principais candidatos às eleições majoritárias na Paraíba;


2007 – Salão Internacional de Artesanato estréia na Multifeira; Lançado serviço de monitoramento remoto de câmeras através da Internet ou por celular; O Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP) leva 30 beneficiados para expor seus negócios.


2008 – Salão Internacional de Artesanato é ampliado; lançados os pratos anti dengue para plantas e o produto para combate de pragas domésticas como formigas; Soutien fashion é lançado e atrai atenção da mulherada; produtos personalizados conquistam visitantes e 11 instituições recebem doações de alimentos da BMB.

 

 

 

 

Início

 

 

 

 

CONSULTOR JURÍDICO

 

 

 

 

STF julga com urgência fim da isenção na Zona Franca

 

 

A ação contra a lei que impôs às indústrias da Zona Franca de Manaus o recolhimento obrigatório de PIS e Cofins será julgada sob rito sumário. A decisão é da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal. A Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a lei foi ajuizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

A entidade questiona dispositivos da Lei 11.196/05, que impôs às concessionárias de veículos da Zona Franca de Manaus, até então sujeitas à alíquota zero, o recolhimento de 2% de PIS e 9,6% de Cofins para veículos novos e 2,3% e 10,8%, respectivamente, para máquinas e autopeças.

Com o rito adotado pela ministra, a ação não terá examinado o pedido de liminar para que fossem suspensos os dispositivos, mas será julgada diretamente no mérito pelo Plenário do STF. A ministra deu prazo de dez dias para o presidente da República, autoridade coatora, prestar informações. Em seguida, a Advocacia-Geral da União e a Procuradoria-Geral da República terão, sucessivamente, o prazo de cinco dias, cada uma, para se manifestar.

Os dispositivos da lei impugnados são o artigo 65, caput, parágrafo 1º, incisos III e V;  parágrafos 2º e 4º, inciso III, e os parágrafos 5º e 7º. A confederação alega violação dos artigos 3º, inciso II; 151, inciso I, e 149, parágrafo 2º, inciso I, todos da Constituição Federal, bem como do artigo 40 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

O primeiro desses dispositivos estabelece a erradicação da pobreza e da marginalização e a redução das desigualdades sociais e regionais. O artigo 150 veda tratamento desigual entre contribuintes que se encontrem em situação equivalente. Já o artigo 151 veda à União instituir tributo que não seja uniforme em todo o país, mas admite a concessão de incentivos fiscais destinados a promover o equilíbrio e o desenvolvimento sócioeconômico entre as diferentes regiões.

A afronta ao artigo 149, parágrafo 2º, inciso I, consiste no fato de que as contribuições sociais não incidirão sobre as receitas decorrentes de exportação, e o artigo 40 do ADCT mantém a Zona Franca de Manaus como área de livre comércio, de exportação e importação, e de incentivos fiscais. A CNC alega violação, entre outros, do princípio da isonomia tributária por criar alíquotas diferenciadas para situações equivalentes.

A Confederação lembra que a tributação do PIS e da Cofins relativa às receitas de vendas com destino à Zona Franca de Manaus foi objeto de grandes controvérsias, que culminaram com a edição da Medida Provisória 1.858/99. Esta MP teve 35 reedições, sendo que, à exceção das últimas 11, todas excepcionavam as exportações de mercadorias para a Zona Franca, ao estabelecer a exclusão do crédito tributário. Segundo a CNC, o trecho que continha o texto discriminatório foi retirado a partir da vigésima quinta edição da MP, já remunerada para MP 2.037, em face de liminar concedida pelo STF na ADI 2.348.

Posteriormente, a Lei 10.485/02, com a redação introduzida pela Lei 10.865/04, criou o regime monofásico do PIS e da Cofins, aplicável às receitas obtidas com a venda de veículos, máquinas e autopeças. Neste regime, não-cumulativo, os fabricantes têm direito a créditos relativos a insumos utilizados na produção, mantidos com a aplicação da alíquota zero sobre o valor das receitas com as vendas para a ZFM.

Assim, vigorou a alíquota zero para as concessionárias e a de 2% (PIS) e 9,6% (Cofins) para os fabricantes. Entretanto, em 2004 foi editada a MP 202, convertida na Lei 10.996/04, dispondo que as receitas com a venda de mercadorias (não discriminadas quanto a origem, tipo ou destinatário) são sujeitas à alíquota zero do PIS e da Cofins, desde que destinadas ao consumo ou industrialização na ZFM e adquiridos de pessoa jurídica estabelecida fora dessa área. Em seguida, em novembro de 2005, foi publicada a Lei 11.196, que estabeleceu as mencionadas alíquotas do PIS e da Cofins para as concessionárias. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

ADI 4.254

 

 

 

Início

 

 

 

 

RONDONOTÍCIAS

 

 

Relator de medida provisória tenta liberar BR 319



Uma decisão sobre a tramitação de medidas provisórias tomada no dia 9 de junho pelo presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), impede a aprovação de emendas sem relação com o texto original enviado pelo governo. Editada antes da nova regra, a MP 462 se transformou na última oportunidade de os deputados tentarem aprovar itens que nada têm a ver com o objetivo inicial da proposta. No Congresso, a antiga prática ficou conhecida como “contrabando” ou “jabuti”.

A MP 462 dispõe sobre a prestação de apoio financeiro da União aos municípios. Prevê a transferência de R$ 1 bilhão ao Fundo de Participação dos Municípios e aumenta de R$ 1 bilhão para 5 bilhões o valor que a União poderá aplicar no Fundo de Garantia para Construção Naval. 

Os deputados aproveitaram bem a última chance de pegar carona nas medidas provisórias. Uma emenda apresentada à MP 462 dispensa o licenciamento ambiental para obras como a BR 319, rodovia federal que liga Manaus a Porto Velho, considerada uma das prioridades do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A proposta acirra a briga dos ambientalistas com o governo federal.

Esta mesma emenda, que já havia sido feita na MP que criava o Fundo Soberano, foi enxertada na MP 462 pelo relator, o líder do PR, deputado Sandro Mabel (GO), que incluiu o item no texto final. Mabel pertence ao mesmo partido do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que tem interesse em facilitar o licenciamento de rodovias.

Na primeira tentativa, a intenção de facilitar o licenciamento da BR 319 provocou uma crise interna no governo, envolvendo o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e o ministro dos Transportes. O governo pressiona para que as obras nessas rodovias sejam entregues antes do fim do mandato, mas o ministro do Meio Ambiente se recusa a conceder a licença caso as exigências ambientais não sejam cumpridas. Em resposta, a ala desenvolvimentista do governo pressiona por alternativas para minimizar essas condicionantes ambientais.

No parecer final, que deve ser divulgado nesta sexta-feira (3), Mabel incluiu 26 itens, além dos 10 que constavam no texto original enviado pelo Executivo ao Congresso.

Impasse

Um dos mais polêmicos, o artigo que dispensa licitações introduzido na MP 462 já havia sido incluído na MP 452. Essa medida, no entanto, perdeu a validade, o que trouxe a necessidade de uma nova tentativa de aprovação dessa proposta pelo Congresso.

O novo artigo incluído pelo relator dispensa o estudo de impacto ambiental (EIA) e o relatório de impacto ambiental (RIMA) de obras rodoviárias federais de pavimentação, melhoramento, adequação e ampliação de capacidade. Na prática, o artigo dispensa o licenciamento ambiental e considera que essas obras em rodovias são de pouco impacto ambiental.

O texto modificado por Mabel estabelece prazos para emissão das licenças ambientais. De acordo com o artigo, licenças prévias e de instalação – autorizações ambientais concedidas na fase preliminar do planejamento do empreendimento, que permitem a retirada da vegetação para a execução da obra – devem ser dadas em 90 dias. Enquanto as licenças de operação – que autoriza a operação da atividade ou empreendimento – têm 60 dias para serem concedidas.

“Essa emenda é absurda. Não tem nada a ver com o assunto da MP e favorece o desmatamento. Esse artigo é encomendado para beneficiar obras do governo, é encomendado para beneficiar a BR 319, sem dúvida. Acho um absurdo fazer essa rodovia. Nessa área da Amazônia, deveria ser uma ferrovia”, disse ao site o líder do PV, Sarney Filho (MA).

Carona

Entre as emendas enxertadas no Congresso, está a redução a zero das alíquotas do Imposto de Exportação e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para certos tipos de armas e munições, mudanças na lei que autoriza o uso do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) na compra de imóvel residencial e a possibilidade de que empresas se tornem fundações.

Outras emendas “contrabando” foram apresentadas, porém descartadas pelo relator. Entre elas, duas emendas da deputada Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) que beneficiam empresas com sede na Zona Franca de Manaus e outra, da mesma deputada, que favorece os produtores de fibras de juta e malva.

Também foi apresentada uma emenda do deputado William Woo (PSDB-SP), para instituir o número único de Registro de Identidade Civil e o Cadastro Nacional de Registro de Identificação Civil. O deputado Vírgilio Guimarães (PT-MG) também tentou pegar carona na MP e apresentou emenda para reajuste de aposentadorias, sob a justificativa de que beneficiar os aposentados é tão relevante quanto repor as perdas dos municípios.

A MP, que já tranca a pauta no plenário da Câmara, é o primeiro item de votação da próxima semana. O Congresso em Foco procurou o deputado Sandro Mabel para saber as justificativas em relação ao seu parecer. O parlamentar, no entanto, não retornou ao site.

Contrabando

A assessoria da Presidência da Câmara explica que a proibição de emendas de “contrabando” não vale para a MP 462 porque ela já estava tramitando e a decisão não é retroativa.

As novas regras começam a valer a partir da MP 464, que, segundo o secretário-geral da Mesa na Câmara, Mozart Viana, já teve quatro emendas “contrabando” descartadas.

Fonte: Congresso em Foco

 

Autor:

 

 

 

 

Início

 

 

 

O GLOBO

 

 

 

Caso raro de trigêmeos entre ianomâmis mobiliza aldeia na Amazônia

Plantão | Publicada em 02/07/2009 às 12h29m

Fabiana Parajara, O Globo

Comente

Comentários

SÃO PAULO e MANAUS - O nascimento de trigêmeaos na aldeia ianomâmi de Ariabú, em Maturacá, no Amazonas, em meados de junho, foi motivo de apreensão entre os profissionais da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), responsáveis pela saúde dos índios da região. Crianças gêmeas concebidas por índias dessa etnia costumam ser vistas como fonte de azar para a aldeia, de acordo com a tradição ianomâmi. Para eles, os gêmeos têm a 'alma partida', e representam o bem e o mal. Como não dá para saber qual criança representa o mal, ambas são sacrificadas por abandono, sufocamento ou envenenamento. Bebês com deficiência física têm o mesmo destino. As mulheres ianomâmi são encarregadas do trabalho pesado, e não podem cuidar dos bebês com algum tipo de deficiência.

No caso dos trigêmeos, o desfecho foi diferente. Na aldeia de Ariabú, o tabu do sacrifício dos trigêmeos parece ter sido quebrado. O próprio pai insistiu em ficar com as crianças. E toda a comunidade já se dispôs a ajudar o casal na criação das meninas, que foram concebidas naturalmente, e nasceram de cesariana no Hospital de Guarnição, em São Gabriel da Cachoeira. Os bebês e a mãe, a índia Danila, agora estão na Casa de Saúde do Índio em Santa Izabel do Rio Negro e a alta deve ocorrer em duas ou três semanas. Além da ajuda da comunidade, a Funasa também vai mandar uma técnica em enfermagem para a aldeia.

- Se as meninas tivessem nascido entre os ianomâmi de Roraima, por exemplo, dificilmente teríamos conseguido atendê-las. Lá as tradições são preservadas. Mas as tribos do Amazonas são diferentes. A mãe das trigêmeas, Danila, até rejeitou uma menina que estava mais fraquinha, mas o pai insistiu que queria a criança e todas estão sendo bem cuidadas. As crianças vão para a aldeia assim que ganharem um pouco mais de peso - explicou Joana Claudete Schuertz, da Funasa de Roraima, responsável pelos índios ianomâmi da Amazônia.

Segundo a funcionária da Funasa, a mãe tem outros sete filhos.

- Certamente ela vai precisar de ajuda e vamos acompanhar de perto. Mas o pai e o restante da família se comprometeram a ajudar - diz Joana, que afirmou ser o primeiro caso de trigêmeos que ela conhece entre os ianomâmi.

Joana diz ainda que as crianças estão bem e receberam muitas doações de fraldas e roupas.

- Foi muita sorte. Se tivessem nascido em outra tribo, elas talvez não tivessem chance - diz Joana, referindo-se ao tabu ianomâmi.

Casos como o da aldeia Ariabú, em que toda a comunidade rompe com tradições milenares, são ainda uma exceção entre os ianomâmi. Não há dados precisos sobre infanticídio entre tribos brasileiras, mas sabe-se que a maioria dos casos de morte de crianças com menos de um ano entre os ianomâmi acontece por esse motivo.

Em algumas tribos, há registros de pais que enfrentaram todo o grupo para quebrar o tabu e salvar os filhos. Em março, uma menina ianomami da Amazônia, de um ano, vítima de hidrocefalia, também foi motivo de polêmica entre médicos e a Fundação Nacional do Índio (Funai). A criança foi internada com tuberculose e pneumonia, além da hidrocefalia, e foi mantida internada no hospital contra a vontade da família.

Os pais e a Funai pediam que o bebê fosse levado de volta à aldeia, apesar do risco de ela não resistir sem tratamento adequado. Segundo os pais, ela deveria ser tratada pela medicina indígena. Havia ainda o medo de a menina ser sacrificada por conta do problema. A Funai recorreu à Justiça, assegurando que ela não seria sacrificada e afirmando que os direitos dos índios estava sendo desrespeitados.

A Justiça negou a volta à aldeia, mas determinou que a criança fosse transferida para uma unidade de Saúde mais próxima da tribo. Desde abril, ela também está na Casa de Saúde do Índio de Santa Izabel do Rio Negro. Apesar de ter uma saúde frágil, a criança tem todo o acompanhamento médico necessário e a família está por perto na Casa de Saúde. Foi outro final feliz.

 

 

 

Início

 

 

 

CORREIO BRASILIENSE

 

 

 

 

 

Sarney oculta da Justiça Eleitoral casa de R$ 4 milhões

 

 

Agência Estado

Publicação: 03/07/2009 08:50

 

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ocultou da Justiça Eleitoral a propriedade da casa avaliada em R$ 4 milhões onde mora, na Península dos Ministros, área mais nobre do Lago Sul de Brasília. De acordo com documentos de cartório, o parlamentar comprou a casa do banqueiro Joseph Safra em 1997 por meio de um contrato de gaveta. Em nenhuma das duas eleições disputadas por ele depois da compra - 1998 e 2006 - o imóvel foi incluído nas declarações de bens apresentadas à Justiça Eleitoral.

Sobre a ausência da casa nas declarações registradas na Justiça Eleitoral, a assessoria de Sarney informou, por escrito, que ocorreu um "erro do técnico que providencia a documentação do presidente Sarney junto aos órgãos competentes". Afirmou ainda que o imóvel consta das "declarações anuais de Imposto de Renda (IR) do presidente, entregues também ao TCU (Tribunal de Contas da União) com frequência anual".

 

 

 

Dois documentos do próprio senador, arquivados no Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP), deixam dúvidas sobre a declaração da casa à Receita Federal. Num dos documentos, apresentado na campanha de 2006, Sarney listou seus bens, mas sem nenhuma referência à casa de R$ 4 milhões em Brasília. Ao final, ele escreveu de próprio punho que aquela lista de bens declarados à Justiça Eleitoral é a reprodução fiel de sua declaração à Receita. "De acordo com minha declaração de bens à Receita Federal em 2006", registrou o presidente do Senado no rodapé, que leva sua assinatura.

O outro documento é da campanha anterior, a de 1998. Na ocasião, Sarney juntou ao registro de candidatura uma cópia da sua declaração de IR apresentada à Receita naquele ano. O imóvel avaliado em R$ 4 milhões ficou de fora. Por ter sido comprado em 1997, o imóvel deveria constar da declaração de renda apresentada em 1998, ano-base 1997

Registro
O valor de R$ 400 mil, segundo o banco, Sarney quitou logo no ano seguinte, em 1998. A transferência do imóvel, porém, se deu apenas em 2008, dez anos depois, quando a escritura foi lavrada e registrada no cartório de imóveis. À pergunta sobre a demora em transferir a casa, o Banco Safra respondeu: "Desconhecemos." Por meio dos assessores, Sarney avisou que não responderia sobre a razão de ter levado dez anos para registrar o imóvel no Lago Sul em seu nome.

 

 

 

Início

 

 

 

 

JB ON LINE

 

 

 

Desemprego na zona do euro sobe a 9,5%, maior nível em 10 anos

 

 

REUTERS

BRUXELAS - A taxa de desemprego na zona do euro atingiu em maio o maior nível em 10 anos, mostraram dados nesta quinta-feira que reforçam a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) manterá o juro da região em patamar recorde de baixo por ora. A taxa de desemprego nos 16 paíse que formam o bloco subiu para 9,5%, ante 9,3% em abril, com 273 mil pessoas perdendo seus empregos em maio. Com isso, o número de pessoas desempregadas chegou a 15,013 milhões, informou a agência de estatística Eurostat.

Inflação pelo IPC-Fipe desacelera para 0,13% em junho

 

 

 

Início